Ataque a tiros em escola da Finlândia deixa uma criança morta e duas feridas

Suspeito é um garoto de 12 anos que estudava na mesma escola; ataques similares em 2007 e 2008 fizeram o país endurecer a legislação sobre uso de armas

Reuters

Publicidade

Helsinque (Reuters) – Uma criança foi morta e outras duas ficaram gravemente feridas em um ataque a tiros em escola nos arredores da capital finlandesa Helsinque nesta terça-feira (2) informou a polícia. Um colega de 12 anos, suspeito do ataque, foi levado sob custódia.

Segundo a polícia local, não há outros suspeitos, por enquanto. A identidade do suspeito ou das vítimas não foi confirmada, mas sabe-se que todos são finlandeses de 12 anos e alunos da escola.

O suspeito admitiu o ataque em um interrogatório preliminar, disse a polícia, e será colocado sob os cuidados dos serviços sociais, uma vez que é muito jovem para permanecer sob custódia.

Planilha Gratuita

Fuja dos ativos que rendem menos com essa ferramenta gratuita

Baixe a Calculadora de Renda Fixa do InfoMoney e compare a rentabilidade dos ativos

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Um vídeo que circula nas mídias sociais e não foi verificado pela Reuters mostrou dois policiais ajoelhados ao lado do suspeito dos tiros, que estava deitado de bruços em uma calçada.

O ataque ocorreu na escola Viertola, em Vantaa, um subúrbio de Helsinque, que tem cerca de 800 alunos do primeiro ao nono ano e uma equipe de 90 funcionários, de acordo com a prefeitura.

Anja Hietamies, mãe de uma aluna de 11 anos, disse à Reuters que recebeu uma mensagem de sua filha após o ataque a tiros. “Ela disse que eles estavam em uma sala de aula escura e trancada, sem permissão para falar ao telefone, mas que podiam enviar mensagens”, afirmou Hietamies.

Continua depois da publicidade

A ministra do Interior, Mari Rantanen, disse na rede social  X que “o dia começou de forma horrível… Só posso imaginar a dor e a preocupação que muitas famílias estão sentindo no momento. O suspeito do crime foi capturado”.

O primeiro-ministro Petteri Orpo classificou o tiroteio como profundamente chocante. “Meus pensamentos estão com as vítimas, seus entes queridos e os outros alunos e funcionários”, declarou ele no X.

Legislação sobre armas

Ataques a tiros anteriores em escolas na Finlândia colocaram um foco severo na política de armas do país. Em 2007, Pekka-Eric Auvinen atirou e matou seis alunos, a enfermeira da escola, o diretor e a si mesmo usando uma arma de fogo na Jokela High School, perto de Helsinque. Um ano depois, em 2008, Matti Saari, outro estudante, abriu fogo em uma escola profissionalizante em Kauhajoki, localizada no noroeste da Finlândia. Ele matou nove alunos e um funcionário antes de disparar contra si mesmo.

A Finlândia reforçou sua legislação sobre armas em 2010, introduzindo um teste de aptidão para todos os solicitantes de licenças de armas de fogo. O limite de idade para os candidatos também foi alterado de 18 para 20 anos.

Há mais de 1,5 milhão de armas de fogo licenciadas e cerca de 430.000 portadores de licenças no país de 5,6 milhões de habitantes, onde a caça e o tiro ao alvo são populares.

Tópicos relacionados