Ajuda a Gaza pode ser interrompida em poucos dias, alertam agências da ONU

O diagnóstico é que passagens vitais de escoamento permanecem fechadas, forçando o fechamento de hospitais e levando a mais desnutrição entre a população local

Reuters

Palestinos aguardam para receber alimento feito por cozinha de instituição de caridade no sul da Faixa de Gaza - 08/05/2024 (Reuters/Hatem Khaled)

Publicidade


Londres (Reuters) – A diminuição dos estoques de alimentos e combustíveis pode forçar a paralisação das operações de ajuda humanitária dentro de alguns dias em Gaza, uma vez que as passagens vitais permanecem fechadas, forçando o fechamento de hospitais e levando a mais desnutrição, alertaram as agências de ajuda da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta sexta-feira (10).

Os trabalhadores humanitários deram o alarme esta semana sobre o fechamento das passagens de Rafah e Kerem Shalom para ajuda e pessoas como parte da operação militar de Israel em Rafah, onde cerca de 1 milhão de pessoas deslocadas estão abrigadas.

Os militares israelenses disseram que uma operação limitada em Rafah tinha o objetivo de matar combatentes e desmantelar a infraestrutura usada pelo Hamas, que governa o território palestino sitiado.

Continua depois da publicidade

“Durante cinco dias, nenhum combustível e praticamente nenhuma ajuda humanitária entrou na Faixa de Gaza, e estamos raspando o fundo do tacho”, disse o coordenador sênior de emergências do Unicef na Faixa de Gaza, Hamish Young.

“Esse já é um problema enorme para a população e para todos os agentes humanitários, mas em questão de dias, se não for corrigido, a falta de combustível poderá paralisar as operações humanitárias”, disse ele em um briefing virtual.

Mais de 100.000 pessoas fugiram de Rafah nos últimos cinco dias, acrescentou.