Transferências

WhatsApp libera pagamentos entre pessoas físicas; veja como vai funcionar

Os usuários do mensageiro poderão enviar até R$ 1.000 por transação, com limite mensal de R$ 5.000

(Divulgação)

SÃO PAULO – O WhatsApp (FBOK34) anunciou que a partir desta terça-feira (4) o serviço de pagamentos estará liberado em sua plataforma, permitindo que usuários do aplicativo transfiram dinheiro para outras pessoas, como amigos ou familiares.

O WhatsApp Pay, como ficou conhecido o serviço, não tem taxas e promete ter a mesma facilidade para fazer uma transferência que há ao enviar uma foto para seus contatos.

O serviço de pagamentos será disponibilizado gradualmente nas próximas semanas em todo o país, e os pagamentos para empresas serão ativados no futuro.

“Facilitar o envio e o recebimento de dinheiro de maneira segura não poderia ser mais importante neste momento, já que não só diminui a exposição das pessoas à pandemia, mas também as ajuda a se manterem conectadas com entes queridos, expande o acesso a serviços financeiros e possibilita que mais pessoas participem da economia digital”, afirma Matt Idema, diretor de operações do WhatsApp.

De acordo com a nota da empresa, inicialmente, o serviço será habilitado para usuários do aplicativo com cartões de débito, pré-pago ou o chamado cartão combo (que oferece a opção débito e crédito) do Banco do Brasil, Banco Inter, Bradesco, Itaú, Mercado Pago, Next, Nubank, Sicredi e Woop Sicredi, com as bandeiras Visa e Mastercard. Não é possível usar cartões de crédito para fazer as transferências.

O modelo é todo operado pela Cielo, mas o WhatsApp ressaltou que “segue aberto para outras empresas interessadas em se tornarem parceiras”.

Como vai funcionar?

Os usuários poderão enviar até R$ 1.000 por transação, com limite mensal de R$ 5.000. É possível fazer até 20 transações por dia. Os pagamentos só poderão ser feitos dentro do Brasil, e em reais. Os bancos parceiros podem estabelecer um limite menor para transações para aumentar a segurança, por exemplo.

Para começar a usar, as pessoas podem adicionar seu cartão de um banco parceiro, escolher uma pessoa para enviar o dinheiro e clicar para adicionar a transação. O destinatário verá o pagamento direto na conversa com o remetente.

Exemplo de pagamento pelo WhatsApp (Divulgação)
Exemplo de pagamento pelo WhatsApp (Divulgação)

 

Segundo a empresa, as pessoas com a função já ativada, que serão liberadas de forma gradual pelo WhatsApp, poderão convidar amigos e familiares em todo o país para utilizar os pagamentos no WhatsApp também – desde que tenham cartões Visa ou Mastercard nas modalidades mencionadas.

PUBLICIDADE

“Uma conta habilita o serviço de outras automaticamente ao enviar uma transferência de qualquer valor. A partir daí, esse contato já terá o serviço automaticamente habilitado. Os bancos parceiros também podem convidar seus clientes para se inscrever e usar os pagamentos no WhatsApp”, explicou o WhatsApp em nota.

O InfoMoney contatou o WhatsApp para entender qual parte da cadeia de pagamentos envolvida na solução arca com os possíveis custos, já que o cliente final não terá custo algum. A empresa não revelou como funciona o processo por trás da transferência. “O WhatsApp não está fornecendo detalhes sobre o modelo de negócio desse novo serviço”, afirmou em nota.

Potencial do WhatsApp

A Visa encomendou uma pesquisa com a Morning Consult, que ouviu 1.000 adultos brasileiros durante março de 2021, para validar sua adesão ao mensageiro. O estudo mostrou que 79% dos portadores de cartão Visa estão interessados em fazer transações financeiras pelo WhatsApp.

A faixa mais interessada nessa tecnologia é a de acima de 65 anos de idade (83% declararam interesse). Os atributos mais valorizados pelos entrevistados para fazer uma transferência digital são “segurança”(83%) e “privacidade” (80%).

No caso da Visa, as transações estarão asseguradas por meio da plataforma Visa Direct, que aprova transferências rápidas e seguras para clientes da empresa de pagamentos, e por meio da ferramenta de segurança Visa Cloud Token, que protege informações confidenciais pela conversão de dados em tokens armazenados na nuvem.

Banco Central já autorizou pagamento pelo WhatsApp

O Banco Central concedeu em 30 de março a autorização para implementação do programa de pagamentos vinculado ao WhatsApp. A aprovação valeu para transações que envolvam as empresas Visa e Mastercard no Brasil. Agora, o app passa a liberar a solução para seus usuários.

“A partir das autorizações concedidas, a decisão por iniciar as operações está a cargo das empresas envolvidas”, explicou o Banco Central em comunicado enviado ao InfoMoney na época. “O BC acredita que as autorizações concedidas poderão abrir novas perspectivas de redução de custos para os usuários de serviços de pagamentos.”

“Agora, mais do que nunca, pagamentos digitais seguros e convenientes oferecem uma solução vital para transferir dinheiro rapidamente para pessoas que necessitam e auxiliar empresas em sua recuperação econômica”, complementou o WhatsApp, também em nota enviada naquele momento.

PUBLICIDADE

O WhatsApp se encaixa como um iniciador de pagamento (Pisp). Essa figura foi aprovada pelo BC dentro do Open Banking, conjunto de regras e tecnologias que permite o compartilhamento de dados e serviços de clientes entre instituições financeiras, por meio da integração de seus sistemas. Com um iniciador de pagamento, é possível iniciar transações por canais que não necessariamente são o aplicativo ou o internet banking de um banco, por exemplo.

Como declarar investimentos no IR?
Baixe de graça um ebook que explica como declarar seus investimentos (e quais são isentos) no Imposto de Renda:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.