Visando manutenção de ratings, AIG procura levantar capital e vender unidades

Realização de empréstimo-ponte de US$ 40 bilhões pelo Fed e negociação de divisão aérea são possíveis soluções à seguradora

SÃO PAULO – Em tempos nebulosos para o setor financeiro, a AIG (American International Group) procura levantar capital e vender unidades, visando manutenção de seus ratings de crédito de longo prazo.

A maior seguradora norte-americana solicitou ao Federal Reserve um empréstimo-ponte de US$ 40 bilhões, após rejeitar a oferta realizada pelo JC Flowers, que visava controlá-la majoritariamente.

Horizonte preocupa

Após três prejuízos trimestrais consecutivos, cujas perdas totalizaram US$ 18,5 bilhões, o CEO (Chief Executive Officer) da companhia, Robert Willumstad, sente-se pressionado a levantar capital para compensar os danos provocados pela latente crise do subprime.

PUBLICIDADE

Tal pessimismo acerca da seguradora dilatou-se com o anúncio da Standard & Poor’s na última sexta-feira (12), no qual a agência de classificação de risco afirma que uma redução nos ratings é possível, dada a recente queda dos papéis da seguradora dificultar o acesso ao capital.

Ações despencam

Neste cenário, a AIG planeja vender suas unidades como solução à recuperação contábil. A International Lease Finance, divisão responsável pela realização de seguros no setor aéreo, é uma das possíveis negociáveis do processo, podendo ser vendida por até US$ 14 bilhões.

Como reflexo desta conjuntura, os papéis da seguradora declinam cerca de 50% nas negociações de pré-market nos EUA.