Um em cada 3 brasileiros mudaria de casa para evitar enchentes, mostra pesquisa

Mas apenas 17% disseram ter todos os recursos necessários para concretizar a mudança, apontam dados da Loft

Jamille Niero

Publicidade

Os brasileiros já sentiram que eventos climáticos extremos, como enchentes ou secas prolongadas, afetaram suas moradias recentemente. Cerca de 30% da população afirmam que as enchentes que atingiram o Rio Grande do Sul influenciaram na sua decisão de mudar de imóvel para evitar os danos desses eventos extremos. Contudo, apenas 17% disseram que têm todos os recursos financeiros necessários para a mudança.

É o que aponta um levantamento da startup imobiliária Loft em parceria com a empresa de pesquisas de mercado Offerwise. O estudo contou com mil entrevistas online, realizadas entre 4 e 7 de junho, numa amostra representativa da população brasileira adulta.

Em menos de 1 minuto, simule seus investimentos e tenha em mãos uma carteira recomendada por especialistas da XP

Continua depois da publicidade

“Em todos os recortes que fizemos, como classe social ou região do país, mais da metade dos brasileiros afirmaram já terem sentido efeito de algum evento climático extremo. E já é elevada a quantidade de pessoas que consideram se mudar para evitar eventuais danos, mas aí faltam recursos para muitas delas”, afirma o gerente de dados da Loft, Fábio Takahashi.

Quando analisada a idade da população, a faixa com 55 anos ou mais é a que menos afirma sentir efeitos dos eventos extremos (53%) e a que menos considera se mudar por causa dessas ocorrências. A faixa que se mostra mais afetada é a de 25 a 34 anos (67%).

Inundações/enchentes (32%) e ondas de calor (31%) foram os eventos extremos mais citados no país. Segundo Takahashi, “a tragédia no Rio Grande do Sul jogou ainda mais luz nessa questão”.

Continua depois da publicidade

Segundo a última atualização da Defesa Civil gaúcha, de terça-feira (18), ainda há 10,4 mil pessoas em abrigos e 388,7 mil desalojados no estado. Mas, curiosamente, do ponto de vista regional, os moradores do Sul são os que menos se mostram propensos a se mudar (71%); no Nordeste, apenas 60% afirmam que não consideram mudar de moradia, aponta a pesquisa.

Jamille Niero

Jornalista especializada no mercado de seguros, previdência complementar, capitalização e saúde suplementar, com passagem por mídia segmentada e comunicação corporativa