Setor de Habitação responde por menos de 1% das queixas do Procon em 2009

Do total de mais de 41 mil reclamações, empresas do segmento concentraram 320 no ano passado

SÃO PAULO – As empresas do setor de Habitação também entraram na lista daquelas que receberam mais queixas na Fundação Procon-SP em 2009. A área, de acordo com o cadastro de reclamações do órgão, representou 1% do total das reclamações fundamentadas.

Ao todo, 320 das 41.685 queixas recebidas pelo órgão de defesa do consumidor no ano passado referem-se ao segmento habitacional.

Descumprimento do prazo de entrega, questões relativas à devolução de valores pagos em negócios não concretizados e falhas na informação ao consumidor estão entre as reclamações mais citadas.

Os segmentos mais reclamados de 2009
Em 2009, o Procon realizou mais de 533 mil atendimentos, considerando consultas simples, atendimentos preliminares, orientações e outros serviços. Desse total, apenas 7,8% (41.685) transformaram-se em reclamações fundamentadas.

Empresas do setor de serviços ficaram no topo do ranking das mais reclamadas no ano passado. Elas representaram 57% de todas as reclamações fundamentadas em 2009. Dentre desse segmento, empresas de telefonia e energia elétrica foram os destaques e concentraram 49% do total das queixas recebidas pelo Procon. Os fornecedores que lideraram o segmento foram Telefônica, Eletropaulo, TIM Celular, Claro e Embratel. 

O segmento Assuntos Financeiros, que concentra reclamações contra bancos, financeiras e administradoras de cartão de crédito, representaram 22% do total das queixas. O cartão de crédito lidera o ranking das reclamações realizadas em assuntos financeiros no ano passado, sendo o maior problema a cobrança de tarifa de emissão de boleto.

Persistem ainda as queixas referentes à cobrança de valores não reconhecidos nas faturas de cartões de crédito em caso de roubo/furto, perda/extravio do plástico ou mesmo quando o cartão permanece nas mãos do consumidor. Ainda em relação aos cartões, foram recebidas reclamações sobre lançamentos de serviços não solicitados e ofertas de parcelamento da fatura sem a devida informação sobre juros, valor total cobrado etc.

Outros segmentos no ranking
A área de Produtos, que reúne segmentos de móveis, eletrônicos e vestuário, foi responsável por 18% das queixas.

O grupo Saúde, que reúne as queixas contra planos de saúde, cosméticos, medicamentos, representou 3% do total das reclamações fundamentadas no ano passado.

PUBLICIDADE

O grupo Alimentação ficou em último lugar considerando os grupos. Esse segmento concentrou menos de 0,1% das queixas.