Seguro Social

Servidores do INSS iniciam greve que pode afetar serviços ao cidadão

Categoria quer reajuste de 19,99% nos salários; federação divulgou balanço no fim do dia e diz que servidores de 16 estados entraram em greve

Por  Equipe InfoMoney -

Servidores do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) entraram em greve nesta quarta-feira (23), e a paralisação pode afetar os serviços previdenciários disponibilizados ao cidadão.

A mobilização é coordenada pela Fenasps (Federação Nacional dos Sindicatos de Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social), com o objetivo de um reajuste de 19,99%.

Leia também:
Aposentados e pensionistas do INSS vão receber R$ 1,3 bi em atrasados
Criminosos se passam por ‘Helô’, assistente virtual do INSS, para aplicar golpes

Procurado pelo InfoMoney, o INSS não informou se houve impacto no primeiro dia de greve nem se atividades chegaram a ser suspensas.

A Fenasps divulgou balanço no fim do dia e diz que servidores de 16 estados entraram em greve: BA, CE, ES, GO, MA, MG, MS, PA, PE, PR, PI, RN, RS, SC, SP e TO.

A paralisação não afeta o trabalho dos médicos peritos, que têm um outro sindicato. Apesar de ter manifestado apoio à greve, a ANMP (Associação Nacional dos Médicos Peritos da Previdência Social) diz que os médicos seguirão trabalhando normalmente.

Em São Paulo, o SINSSP convocou os trabalhadores a aderirem a três dias de “apagão no INSS”, de hoje até sexta-feira (25), quando está marcada uma reunião dos servidores com o Ministério do Trabalho e Previdência.

O SINSSP orienta seus filiados que, durante o “apagão”, servidores em trabalho remoto devem manter seus computadores desligados e os que estiverem no atendimento presencial não devem acessar os sistemas, somente orientar a população sobre a greve.

9 formas de transformar o seu Imposto de Renda em dinheiro: um eBook gratuito te mostra como – acesse aqui!

Compartilhe