Fique de olho

Selic cai, mas taxa de empréstimos segue em alta; veja cobrança em 6 bancos

Para empréstimo pessoal, a taxa média dos bancos pesquisados foi de 6,33% ao mês

SÃO PAULO – Embora a taxa básica de juros, a Selic, tenha caído ao menor patamar em quatro anos após passar por 9 cortes consecutivos e chegar a 7,50% em outubro, as taxas cobradas pelos bancos seguem pesando no bolso dos correntistas.

Uma pesquisa de taxa de juros realizada pela Fundação Procon-SP em 1º de novembro constatou que as taxas do cheque especial e do empréstimo pessoal não apresentaram alteração em relação ao mês anterior.

Para empréstimo pessoal, a taxa média dos bancos pesquisados foi de 6,33% ao mês e para cheque especial a taxa média foi de 13,40% am.

PUBLICIDADE

Veja as taxas cobradas em 1 de novembro para cheque especial e empréstimo pessoal: 

BancosEmpréstimo pessoalCheque especial
Banco do Brasil5,99%12,99%
Bradesco6,22%13,33%
Caixa Econômica Federal5,70%13,55%
Itaú Unibanco6,27%12,91%
Safra5,90%12,60%
Santander7,89%14,99%

Os dados coletados se referem às taxas máximas pré-fixadas para clientes não preferenciais, independentemente do canal de contratação, sendo que para o cheque especial foi considerado o período de 30 dias e para o empréstimo pessoal, o prazo de contrato é de 12 meses.