EXPERIMENTE!

Clique e experimente a
versão rápida do

Em minhas-financas / seguros

Assessoria patrimonial eleva o patamar de escritórios de investimento em período de instabilidade econômica e incerteza política

Priscilla Massena

escritório - executivo - franquia - negócios - trabalho
(Shutterstock)

As melhores formas de proteger tudo o que é conquistado ao longo da vida e evitar desavenças familiares em momentos em que essas preocupações não deveriam existir são desconhecidas e pouco procuradas pela maioria dos brasileiros. Poucos se questionam sobre isso no momento de acumular bens, mas de que adianta qualquer conquista se há boas chances de que tudo acabe em caos, com risco real de dilapidação por falta de cuidado e atenção?

“Muita gente no Brasil acumula dinheiro até uma certa idade e quando chega a hora de aproveitar o que foi conquistado e viver de renda não consegue. Sem um planejamento financeiro, a pessoa acaba gastando tudo até o dia em que seu patrimônio acaba”, explica Olívia Flôres de Brás, head de análise patrimonial e sucessão da Blue Star Invest.

O advogado tributarista Bruno Alvarenga alerta: clientes que já chegam com um planejamento sucessório feito no momento de um inventário tem este processo agilizado e menos custoso. “O planejamento proporciona uma economia substancial. De tempo e dinheiro. Os gastos com uma sucessão não preparada são muito altos e o processo normalmente vem acompanhado de surpresas desagradáveis, como discórdias familiares, por exemplo”, explica.

Analisar o grau de exposição dos bens e calcular a melhor forma de preservá-los é importante. Uma conversa transparente com um assessor patrimonial esclarece tudo que pode ser feito para garantir essa segurança.

De acordo com o sócio e estrategista-chefe da XP Investimentos Celson Plácido, um momento de incertezas em um ano de eleições presidenciais, uma grave crise fiscal e o real entre as moedas mais desvalorizadas da América Latina podem gerar riscos que muitas vezes são negligenciados. Para evitar surpresas, é preciso saber como o cenário político-econômico pode afetar seus investimentos.

“O brasileiro está chegando à conclusão de que não dá para fazer o planejamento e a blindagem do patrimônio por conta própria. Ao fazer a análise do patrimônio de nossos clientes, buscamos sustentar sua perpetuidade levando em conta os solavancos de um cenário volátil no país, sempre com muita transparência e ética”, completa Olívia.


Fonte: Divulgação

Contato