Seguros

Saiba como escolher entre o seguro de vida e o de acidentes pessoais

Confira as dicas para escolher entre essas duas modalidades de seguro

Por  Equipe InfoMoney

 SÃO PAULO – Muitas pessoas se confundem na hora de decidir entre o seguro de vida e o de acidentes pessoais e, afinal, acabam optando pelo menos adequado comprometendo o futuro de quem receberá a indenização quando já não estiverem mais presentes.

Para ajudá-lo a entender melhor esses dois seguros e descobrir qual deles é melhor para você, o portal Prestum Seguros entrevistou o corretor de seguros Alex Pratti, da Pratti Corretora e Administração de Seguros. Confira as dicas do profissional resumidas no comparativo abaixo:

 Seguro de VidaSeguro de Acidentes Pessoais
Proteção

Cobertura ampla:
 – Cobertura básica para morte por qualquer causa
– Morte por acidente
– Invalidez total ou parcial por doença ou acidente
– Doenças graves (geralmente antecipa 30% da cobertura básica)
– Auxílio funeral
– Outras

Cobertura restrita para casos de acidente:
– Morte
– Invalidez total ou parcial
– Despesas médico-hospitalares
– Despesas odontológicas
– Diária por incapacidade temporária
– Outras

 PúblicoQualquer idade

Em especial para quem é a única fonte de renda familiar e tem dependentes, filhos em idade escolar, bens financiados ou cônjuge que não trabalha

 

Jovens, solteiros, sem filhos, em boas condições físicas e de saúde e que tenham menos risco de morte por causas naturais

Profissionais liberais, empresários e pessoas que dependem de boas condições físicas para exercer suas atividades

 ValorMais caro
 
 Mais barato
 Cálculos de preços

Leva em consideração:
– Idade
– Índice de massa Corporal (IMC)
– Se é fumante
– Valor mínimo para manutenção da família em caso de ausência (em geral, por 5 anos)
– Renda familliar
– Número de dependentes
– Estimativa de custos para conclusão de cursos / faculdades

 
Leva em consideração:
– Não distingue jovens de idosos
– Valor mínimo para manutenção da família em caso de ausência (em geral, 5 anos)
– Renda familliar
– Número de dependentes
– Estimativa de custos para conclusão de cursos / faculdades
 Vantagens

Não entra no inventário
Não há desconto de dívidas nem de impostos do valor a ser pago aos beneficiários


Não entra no inventário
Não há desconto de dívidas nem de impostos do valor a ser pago aos beneficiários

 

Ajuda profissional
Além de ficar atento aos critérios acima, Pratti recomenda sempre consultar um consultor de seguros, já que esse profissional é o mais indicado para estudar as necessidades do cliente e indicar o melhor produto para ele. “A primeira coisa – e mais correta – é procurar um corretor de seguros, profissional devidamente habiltado que possa fazer uma ‘consultoria’ completa da vida do cliente e orientá-lo sobre as coberturas e importâncias seguradas, atendendo às suas necessidades pessoais, profissionais e, principalmente, á manutenção da família em caso de ausência (falecimento).”

Outro cuidado é evitar a compra do seguro – tanto de vida como de acidentes pessoais – sem informação suficiente ou uma assessoria personalizada. “O que geralmente acontece é que o consumidor contrata um seguro em instituições financeiras ou em ‘vendas casadas’ nas lojas de roupas, eletrodomésticos e eletrônicos, que forçam a venda e não contam com uma qualificação completa para exercer essa atividade”, reforça Pratti.

Critérios de escolha
O corretor alerta que, apesar de o seguro de acidentes pessoais ser mais barato, o critério econômico não deve ser o mais importante na decisão, mas, sim, a sua situação atual. “Havendo disponibilidade financeira, o ideal é que o interessado se proteja em qualquer situação de sua vida, seja ela provocada por causas naturais e súbitas, involuntárias, violentas, imediatas, que provoquem lesão física ou até a morte.”

Compartilhe