Invasão à Ucrânia

Renault suspende atividades de fábrica na Rússia após críticas da Ucrânia

Decisão foi divulgada horas após o chanceler ucraniano pedir boicote mundial à montadora francesa, que ainda mantinha suas operações em Moscou

Por  ANSA Brasil

A Renault anunciou na quarta-feira (23) a suspensão das atividades de sua fábrica em Moscou, capital da Rússia, após críticas à montadora francesa por causa da invasão à Ucrânia. Com isso, a empresa reduziu a projeção de sua margem operacional em 2022, de 4% ou mais para cerca de 3%.

A decisão foi divulgada em comunicado horas após o chanceler da Ucrânia, Dmytro Kuleba, pedir um boicote mundial à companhia, que ainda mantinha suas operações na Rússia apesar da invasão ao território ucraniano.

“A Renault se recusa a sair da Rússia. Não que deva surpreender alguém quando a Renault apoia uma guerra brutal de agressão na Europa. Mas os erros devem vir com um preço, especialmente quando repetidos”, escreveu Kuleba no Twitter,

O chanceler ainda apelou aos “clientes e empresas de todo mundo que boicotem o Grupo Renault”.

Mais cedo, o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, havia acusado a Renault e outras empresas de financiarem a guerra e a morte de crianças e de mulheres.

Durante discurso ao Parlamento francês, Zelensky ressaltou que todos precisam lembrar “que os valores são mais importantes que os benefícios”.

Cadastre-se na IMpulso e receba semanalmente um resumo das notícias que mexem com o seu bolso — de um jeito fácil de entender:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.
Compartilhe