Radar: acompanhe algumas das principais oscilações na bolsa nesta quinta-feira

Indicadores e alta nas commodities sustentam os ganhos nesta tarde; por aqui, crescimento do PIB decepciona

SÃO PAULO – Mantendo a mesma trajetória vista durante a manhã, os principais mercados acionários operam em alta nesta quinta-feira (10), com o Ibovespa avançando 1,15% nesta tarde. Indicadores econômicos, resultados corporativos e alta nas commodities ofuscam o crescimento aquém do esperado do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro.

Surpreendendo negativamente, a atividade econômica brasileira registrou neste terceiro trimestre um avanço de 1,3% em relação aos três meses anteriores, desempenho abaixo da expansão de 2,0% esperada pelos analistas. Ainda por aqui, vale destacar que, na sessão anterior, o Copom (Comitê de Política Monetária) optou por manter a taxa básica de juro em 8,75% ao ano.

Contudo, as referências internacionais continuam ditando o rumo dos negócios nesta sessão. Nos EUA, a balança comercial de outubro reportou déficit de US$ 32,9 bilhões, desempenho comemorado pelos mercados. Ainda por lá, número de novos pedidos de auxílio desemprego ficou acima das estimativas. No entanto, o volume acumulado nas últimas quatro semanas atingiu seu menor nível em um ano.

PUBLICIDADE

O continente europeu também emitiu sinais positivos ao mercado. A Inditex, maior varejista de roupas do mundo, registrou um crescimento de 4,3% em seu lucro líquido durante o terceiro trimestre, ao passo que os analistas projetavam um forte recuo. Ainda no velho continente, declarações otimistas de membros da União Europeia acerca da situação fiscal grega também foram bem recebidas.

Cartões em alta
Em meio ao fraco crescimento da economia brasileira neste trimestre, a probabilidade da Selic ser mantida ao seu menor patamar histórico por algum tempo contribui para a forte valorização das ações da Redecard (RDCD3) e da Cielo (VNET3).

A primeira registra ganhos de 6,48%. Já a segunda avança 6,59%. Vale destacar que a antiga VisaNet atualizou suas expectativas para o resultado deste ano, prevendo um aumento de até 22% em seu volume financeiro de transações com cartões de crédito e débito.

Eletrobrás
Após os papéis preferenciais classe B da Eletrobrás (ELET6) terem se destacado na sessão anterior, desta vez são os ativos ordinários (ELET3) da estatal que lideram os ganhos no Ibovespa, ao subirem 7,89% – ao passo que o ELET6 avança 6,14%.

Repercute para a trajetória de ganhos continuada dos papéis da companhia a lei assinada nesta semana pelo presidente Lula, cuja proposta é expandir os subsídios para as geradoras de energia para que elas possam atender a demanda do Norte do País, diz a agência Bloomberg.

Vale
A Vale (VALE5) anunciou na noite passada a aquisição de 37,4% do capital da Tecnored Desenvolvimento Tecnológico por R$ 80 milhões, empresa que desenvolve processos tecnológicos inovadores nas áreas de metalurgia e mineração e que “apresenta boas perspectivas em termos de competitividade e sustentabilidade ambiental”, segundo nota da mineradora. Suas ações operam em alta de 1,54%, repercutindo ainda a recomendação positivo do JPMorgan.

PUBLICIDADE

TAM
A TAM (TAMM4) divulgou na véspera os seus dados estatísticos referentes ao mês de novembro, quando a taxa de ocupação de seus aviões no mercado doméstico subiu 2,6 pontos percentuais na comparação com o mesmo mês do ano passado.

Por sua vez, os números referentes à taxa de ocupação no mercado internacional mostraram alta de 3,7 pontos percentuais, encerrando novembro em 73,7%. O número de passageiros transportados (RPK) aumentou 17,6% no mercado doméstico e 13% lá fora. Neste pregão, as ações da companhia aérea registram forte valorização de 3,55%.

Incorporação
O Banco do Brasil (BBAS3) trouxe novas informações acerca da incorporação da Nossa Caixa, cujos acionistas receberão 2,2887 ações ordinárias do BB para cada papel detido no banco paulista. O exercício do direito de recesso tem início nesta quinta-feira e dura até o dia 8 de janeiro. Os papéis do banco sobem 0,68%.

Projeções
Traçando projeções em torno de sua mais recente aquisição, a Hypermarcas (HYPE3) veio a público informar que a compra da Neo Química deverá ser concluída em três a cinco anos, gerando um incremento total de R$ 115 milhões ao ano em seu Ebtida (lucro antes de juros, depreciação e amortização). Seus ativos sobem 0,25%.

Logística
O setor de transportes novamente marca presença no noticiário desta quinta-feira. A Log-In (LOGN3) obteve um financiamento de R$ 301,9 milhões com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para construção de dois navios graneleiros especializados no transporte de bauxita. As ações da companhia registram valorização de 1,72%.

Já a ALL (ALLL11) não traz notícias muito favoráveis. Um trecho ferroviário da empresa no interior paulista encontra-se interditado em decorrência do excesso de chuvas na região. O trecho faz parte do corredor que interliga o Mato Grosso ao Porto de Santos, por onde passa mais de 45% do volume transportado pela companhia no Brasil. A projeção da ALL é que a situação seja normalizada em até 10 dias. Os papéis da empresa sobem 0,67%.

Estreia em alta
As novas units da Anhanguera Educacional (AEDU11 estrearam na BM&F Bovespa nesta quinta-feira e operam cotadas a R$ 23,40, valorização de 4% sobre o preço estabelecido após o procedimento de bookbuilding, de R$ 22,50. No entanto, os papéis já negociados na Bolsa registram perdas de 0,93% em relação ao preço de fechamento de quarta-feira (9), de R$ 23,62.

Mudança de tickers
Por fim, um alerta: os papéis da Brasil Foods passam a ser negociados a partir desta quinta-feira com novos tickers. Na BM&F Bovespa, ao invés do código anterior (PRGA3), o novo código será BRSF3. Já na bolsa norte-americana, o novo código será BRFS, em substituição aos tickers PRGA3 e PDA, respectivamente. Os papéis avançam 0,55%.