Seu bolso

Queda da Selic: como ficam os juros de cartões e financiamentos?

A Selic foi reduzida em 0,75 ponto percentual e recuou de 8,25% ao ano para 7,50% aa

SÃO PAULO – O Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central, conforme já era esperado pelo mercado financeiro, cortou a taxa básica de juros ao menor patamar desde abril de 2013. A Selic foi reduzida em 0,75 ponto percentual e recuou de 8,25% ao ano para 7,50% aa.

 Em comunicado, o Banco Central “julga que o cenário básico para a inflação tem evoluído conforme o esperado”. Além disso, diz também que “o comportamento da inflação permanece favorável, com diversas medidas de inflação subjacente em níveis confortáveis, inclusive os componentes mais sensíveis ao ciclo econômico e à política monetária”.

Diante do novo patamar, alguns bancos já anunciaram taxas menores também em suas linhas de crédito e a Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade) fez uma estimativa dos efeitos dessa redução na Selic nas operações de crédito mais comuns. Veja:

PUBLICIDADE

 

É possível perceber que as alterações ainda são pequenas. “Este fato ocorre uma vez que existe um deslocamento muito grande entre a taxa Selic e as taxas de juros cobradas aos consumidores que, na média da pessoa física, atingem 137,03% ao ano provocando uma variação de mais de 1.500,00% entre as duas pontas”, explica a Anefac.

Para entender melhor os efeitos dessa redução, a Anefac fez algumas simulações de crédito para pessoas físicas em diferentes modalidades e fez comparações entre os juros cobrados. Veja algumas delas: