Procon autua 53 empresas por irregularidades encontradas no SAC

As empresas autuadas responderão a um processo administrativo e poderão ser multadas de R$ 400 a R$ 6 milhões

SÃO PAULO – Equipes da Fundação Procon-SP monitoraram o SAC (Serviço de Atendimento ao Cliente) de empresas do setor aéreo, bancário, financeiro, de energia elétrica, remessas de cargas, correspondência, telefonia, TV por assinatura, planos de saúde e transporte rodoviário. O resultado? Das 78 empresas fiscalizadas, 53 foram autuadas por irregularidades nas regras do SAC.

Entre as irregularidades, a instituição identificou que algumas empresas destacam, em seu material de divulgação ou na própria fatura, o número de telefone comum, no qual o consumidor pode fazer sugestões ou reclamações.

“Dessa forma, se houver negligência ou demora no atendimento, a empresa não é autuada, já que o consumidor não está usando o número do SAC – que muitas vezes não ganha destaque na divulgação”, explica o diretor executivo da Fundação Procon-SP, Paulo Arthur Góes.

Atualmente a lei determina que os SACs devem contar com telefone gratuito, como 0800, e funcionar 24 horas por dia, durante sete dias por semana.

Mais irregularidades
Também foram encontradas irregularidades, como a falta de telefone gratuito para o SAC, falta de informações claras sobre o serviço de atendimento a deficientes e demora no atendimento.

Entre as empresas autuadas, estão a TAM Linhas Aéreas, Caixa Econômica Federal, Banco Bradesco Financiamentos, Banco IBI, Banco Itaú Card, Pernambucanas, Eletropaulo, as operadoras de telefonia Oi, Claro, TIM, Vivo e Nextel,  e as operadoras de TV por assinatura Sky, Net, Telefônica Sistema de Televisão e Embratel.

Multas
As empresas autuadas responderão a processo administrativo e poderão ser multadas de R$ 400 a R$ 6 milhões, além de estarem sujeitas à suspensão temporária da comercialização de serviços.

O consumidor que tiver dúvidas ou quiser fazer uma reclamação pode procurar um dos canais de atendimento da fundação nos postos do Poupatempo Sé e Santo Amaro. Para orientações, o consumidor de São Paulo pode usar o telefone 151.