Mercado imobiliário

Preço para comprar imóveis residenciais sobe 3,70% em 2020; veja bairros mais caros e baratos em SP e RJ

Considerando a inflação projetada para 2020, porém, imóveis podem ter registrado queda de 0,68% em termos reais

Compra de imóvel
(Natee Meepian/Getty Images)

SÃO PAULO – O preço de venda dos imóveis residenciais subiu, em média, 3,70% no Brasil ao longo do ano de 2020. O balanço é do Índice FipeZap de Preços de Imóveis Anunciados, desenvolvido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e pelo Grupo ZAP. O indicador acompanha a variação no valor médio do metro quadrado de casas e apartamentos prontos em 50 cidades brasileiras, com base em anúncios na internet.

O preço médio de venda residencial apresentou queda nominal apenas em Recife, com desvalorização de 0,38% ao longo de 2020. As demais capitais monitoradas pelo Índice FipeZap registraram avanço de preços no último ano, destacando-se os aumentos observados em Brasília (+9,13%), Manaus (+8,76%), Curitiba (+8,10%), Maceió (+7,90%), Vitória (+7,49%), Florianópolis (+7,02%) e Campo Grande (+5,91%).

Em São Paulo e no Rio de Janeiro, municípios com maior peso na composição do indicador, os valores médios de venda para imóveis residenciais encerraram o ano passado com altas acumuladas de 3,79% e 1,60%, respectivamente.

Apesar do aumento nominal de 3,70% no preço de venda para imóveis residenciais nacionalmente, o IPCA projetado em 4,38% para 2020 deve levar o valor médio de comercialização dessas propriedades a sofrer queda de 0,68% em termos reais.

A comparação com outro índice do mercado imobiliário mostra uma queda em termos reais ainda maior. O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) encerrou 2020 com alta acumulada de 23,14%, a maior variação anual desde 2002. Isso significa que a queda real dos imóveis chega a 19,44%, se considerado esse índice. O IGP-M, porém, é mais usado nos contratos de locação de imóveis, não contratos de venda.

Compare o FipeZap, IPCA e IGP-M em 2020:

ÍndiceVariação mensal (dez/20)Variação em 2020
FipeZap+0,47%+3,70%
IPCA+1,22%+4,38%
IGP-M+3,23%+23,14%

 

Agora, compare esses indicadores nos últimos anos:

Ano200920102011201220132014201520162017201820192020
FipeZap+21,13%+26,86%+26,32%+13,03%+13,74%+6,70%+1,32%+0,57%-0,53%-0,21%+0,00%+3,70%
IPCA+4,31%+5,91%+6,50%+5,84%+5,91%+6,41%+10,67%+6,29%+3,75%+3,75%+4,31%+4,38%
IGP-M-1,72%+11,32%+5,10%+7,82%+5,51%+3,69+10,54%+7,17%+7,54%+7,54%+7,30%+23,14%

Preços de imóveis residenciais por m²

O preço médio do metro quadrado residencial no país ficou em R$ 7.487 em dezembro de 2020. As capitais monitoradas que registraram o valor de venda mais elevado no último mês foram Rio de Janeiro (R$ 9.437/m²), São Paulo (R$ 9.329/m²) e Brasília (R$ 7.985/m²).

PUBLICIDADE

Entre as capitais monitoradas com menor preço médio do metro quadrado residencial em dezembro, destacaram-se Campo Grande (R$ 4.376/m²), Goiânia (R$ 4.483/m²) e João Pessoa (R$ 4.515/m²).

CidadeVariação mensal (dez/20)Variação em 2020Preço médio (R$/m²)
Índice FipeZap+0,47%+3,70%7.487
São Paulo+0,37%+3,79%9.329
Rio de Janeiro+0,30%+1,60%9.437
Belo Horizonte+0,23%+4,47%6.908
Brasília-0,03%+9,13%7.985
Salvador+0,36%+3,61%5.210
Fortaleza+1,12%+2,74%5.948
Recife+0,59%-0,38%6.212
Porto Alegre+0,80%+2,59%6.046
Curitiba+0,58%+8,10%6.498
Florianópolis+1,02%+7,02%7.419
Vitória+1,66%+7,46%7.109
Goiânia+0,84%+4,80%4.483
João Pessoa+0,95%+4,30%4.515
Campo Grande+0,87%+5,91%4.376
Maceió+1,85%+7,90%5.195
Manaus+2,65%+8,76%5.047

Bairros mais caros e baratos em SP e RJ

O InfoMoney já havia divulgado valores preliminares do FipeZap sobre bairros que ficaram percentualmente mais caros ou mais baratos ao longo de 2020, de acordo com o preço do metro quadrado para compra em São Paulo e no Rio de Janeiro.

O bairro de Pinheiros protagonizou o maior aumento entre os metros quadrados da capital paulista. A alta foi de 7,15% neste ano. A Sé foi o único bairro paulistano listado pelo FipeZap que apresentou desvalorização, com queda de 1,76% no preço do metro quadrado.

Planeje seus gastos
Baixe de graça a planilha de controle financeiro com todos os cálculos para monitorar seus gastos mensais e veja um resumo sobre a evolução do seu orçamento ao longo do ano:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.

Já no Rio de Janeiro, a vizinhança do Maracanã foi a que mais se valorizou. O metro quadrado dos imóveis no bairro valorizou 10,81%. No Rio de Janeiro, os bairros que registraram maior desvalorização foram: Leme (-3,52%), Rio Comprido (-2,20%), São Conrado (-2,09%), Andaraí (-1,37%), Lins de Vasconcelos (-0,92%), Méier (-0,69%), Copacabana (-0,24%) , Vila Isabel (-0,15%) e Cachambi (-0,12%).

Abaixo, apresentamos os maiores e menores valores absolutos do metro quadrado nas cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro. Para ver as maiores valorizações e desvalorizações, assim como o preço médio do metro quadrado de outros bairros, clique aqui.

Quer migrar para uma das profissões mais bem remuneradas do país e ter a chance de trabalhar na rede da XP Inc.? Clique aqui e assista à série gratuita Carreira no Mercado Financeiro!