Paulistanos que ganham até três salários mínimos são os mais endividados

Nessa faixa de renda, endividamento atingiu 58% em outubro, segundo levantamento da Fecomercio-SP

SÃO PAULO – De acordo com a Peic (Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor), o número de paulistanos endividados é maior entre os que ganham até três salários mínimos, atingindo 58% em outubro.

Os dados, divulgados nesta segunda-feira (20) pela Fecomercio-SP (Federação do Comércio do Estado de São Paulo), também apontam que este percentual é de 56% entre os que ganham de quatro a dez salários mínimos, enquanto, entre os que ganham acima de dez salários mínimos, o índice é de 37%.

Inadimplência

De acordo com o levantamento, 46% das pessoas com renda até três salários mínimos estão inadimplentes, contra 30% dos que ganham de quatro a dez salários mínimos e 24% entre os que possuem renda acima deste patamar.

Entre os inadimplentes, observa-se que, quanto menor a renda, menor é a intenção de pagamento, pois 37% dos consumidores que ganham até três salários mínimos informaram que não terão condições de pagar total ou parcialmente as suas contas em atraso.

Já os que ganham entre quatro e dez salários mínimos correspondem a 27%, e entre aqueles que ganham mais de 10 salários mínimos, cerca de 18% declararam a intenção do não-pagamento das suas dívidas em atraso.

Homens x mulheres

A análise segmentada por sexo aponta que as mulheres estão mais endividadas do que os homens (56% e 50%, respectivamente).

Por faixa etária, nota-se que os consumidores com idade entre 18 e 34 anos são os mais endividados (57%), enquanto aqueles com idade acima de 35 anos correspondem a 49%.