Mundo mais digital

Pandemia transformou setor de gestão de patrimônio, diz UBS

Clientes estão mais cautelosos, têm mais conhecimento digital e maior interesse em investimentos sustentáveis, segundo executiva do banco

(Robert Alexander/Getty Images)

(Bloomberg) — A pandemia de Covid-19 tem provocado mudanças drásticas no setor de gestão de patrimônio. Os clientes estão mais cautelosos, têm mais conhecimento digital e maior interesse em investimentos sustentáveis, segundo uma executiva do UBS em Hong Kong.

“A pandemia transformou os negócios e também a maneira como operamos”, disse Amy Lo, corresponsável por patrimônio da Ásia-Pacífico para o banco suíço. “O mundo se tornou mais digital, menos global e mais local.”

A executiva diz que clientes em toda a região se tornaram mais cautelosos, preocupados em preservar patrimônio e reequilibrar as carteiras diante da perspectiva da maior retração global desde a Grande Depressão.

“Diversificar e navegar pela volatilidade” é a meta de muitos clientes, disse Amy, cuja empresa administra mais de US$ 400 bilhões na região.

Os investimentos do UBS na plataforma digital dão resultado em meio à pandemia, permitindo que clientes interajam com o banco por meio de conferências, bate-papos e negociações on-line, disse.

O banco registrou salto de 41% do lucro operacional do primeiro trimestre na unidade global de gestão de patrimônio, para US$ 1,22 bilhão. A Ásia-Pacífico representou cerca de 30% desse valor, mais do que qualquer outra região.

“A epidemia mudou a maneira como nos envolvemos com nossos clientes; é basicamente combinar o canal presencial e também todos os canais digitais”, disse Amy em entrevista na sexta-feira à Bloomberg Television. “Vimos a atividade aumentar no banco digital, esse é o caminho a percorrer.”

Os clientes também demonstram mais consciência sobre investimentos ambientais, sociais e de governança, com cerca de 80% interessados nos chamados ativos ESG, disse.

“Eles percebem a importância de ter um crescimento sustentável e de procurar empresas de melhor qualidade que se concentrem no ESG”, afirmou.

Trabalho remoto

Amy disse que o trabalho remoto para alguns funcionários do UBS pode se tornar norma, mesmo com a redução do número de novos casos de vírus e recuperação gradual das economias em áreas como China e Hong Kong. Cerca de 90% dos banqueiros do UBS na região podem trabalhar em casa. Em Hong Kong, 30% deles ainda trabalham remotamente.

“Eu acho que isso continuará por algum tempo, porque também queremos ter esse tipo de esquema com a divisão de equipes”, disse Amy. “Isso não vai desaparecer completamente e, obviamente, estamos vendo como adaptamos o modelo operacional lá.”

O banco continuará a fazer contratações “estratégicas” na região da Ásia-Pacífico, acrescentou Amy.

“A Ásia continua sendo nossa região mais importante globalmente e particularmente nesta parte do mundo: Grande China e também o mercado chinês”, disse.

Quer viver do mercado financeiro ou ter renda extra? Experimente de graça o curso do Wilson Neto, um dos melhores scalpers do Brasil