Em minhas-financas

Pensando em trocar de casa depois dos 60 anos? Fique atento às dicas!

Seja porque a manutenção do imóvel é cara demais, ou porque seu estilo de vida mudou, a decisão exige bastante cautela

SÃO PAULO - Seus filhos cresceram e a casa, que antes parecia pequena de tanta gente dentro, agora parece enorme, vazia e extremamente trabalhosa para manter. Diante disso, você começa a refletir se não estaria na hora de trocar de residência.

"Não tenho mais a mesma disposição de antes", declara Maria de Lourdes que, com 73 anos, sempre cozinhou e fez o jardim de sua casa de três dormitórios. "Gasto mais para manter a casa, pois não consigo mais cuidar das plantas e preciso chamar um jardineiro ao menos uma vez por mês. Isso sem falar que aumentei o número de dias da faxineira, pois não dava mais conta de cozinhar e arrumar tudo!". "Relutei minha vida toda, mas agora começo a achar que seria melhor ir para um apartamento. Além da segurança, por ser menor, poderei economizar alguns gastos, como o do jardim, por exemplo".

"Nunca quis controlar a vida dos filhos e morando perto isso fica mais difícil", afirma Vitória, que há dois meses se mudou para um apartamento menor, a duas quadras da filha. A mudança foi resultado de uma alteração no estilo de vida da família. "Antes eu tinha medo de interferir, tirar a privacidade, mas agora minha filha precisa de mim. Sou eu quem cuido das crianças quando voltam da escola", lembra a avó orgulhosa.

Dicas úteis antes de vender e comprar
Se você se identificou com os casos acima, e chegou à conclusão que a melhor solução seria procurar um imóvel mais adequado à sua nova realidade financeira e de estilo de vida, é preciso cuidado ao executar sua decisão. Trocar de casa não é uma tarefa fácil, e muitas vezes, na pressa de decidir, acabamos tomando decisões equivocadas. Abaixo algumas dicas de como proceder na venda do seu imóvel:

  • Encontre o corretor ideal para você
    Pessoas de mais idade exigem mais atenção no trato. Com mais tempo em mãos, elas em geral exigem o mesmo do corretor. Estamos falando de seu maior patrimônio, portanto, é importante que escolha alguém com quem se sinta confortável, que ouça suas lamentações do por que está sendo forçado a mudar, e que dedique tempo suficiente para entender as suas necessidades.

    Vender a sua casa não é algo fácil. Você já não tem a mesma disposição de receber visitantes, e certamente não está preparado para as críticas que venham a fazer da sua casa. Isso deve ser levado em consideração, tente não estar presente quando um cliente for visitar a propriedade, além de menos cansativo, você se poupa de algumas chateações.

  • Faça as contas, e não deixe o emocional influir
    É bem verdade que você comprou essa casa há mais de 20 anos e, na época, pagou algo que nem saberia traduzir em moeda de hoje. Muitas pessoas de mais idade ficam surpresas quando são informadas que o seu imóvel vale hoje duas vezes mais do que quando foi comprado.

    Animadas com a possibilidade de negócio, esquecem-se que o mesmo aconteceu com as outras propriedades. Portanto, antes de colocar seu imóvel à venda, tente entender quanto está custando uma propriedade do tipo da que você irá precisar. Faça as contas e veja como a mudança irá afetar seu orçamento e suas reservas financeiras.

    Se você mora em uma casa e está pensando em se mudar para um apartamento, lembre-se que prédios são mais seguros, mas é preciso pagar condomínio. Você deve levar isso em consideração na sua decisão. Por sua vez, mudar para um local mais próximo dos seus médicos, filhos e amigos, pode lhe permitir economizar com transporte, sobretudo se você não estiver mais dirigindo, e tiver que contar com transporte público. É importante que, na troca, você consiga juntar uma reserva financeira, que lhe dê uma maior tranqüilidade nessa época da sua vida.

  • Lembre-se que você quer vender a casa!
    Por mais que esta decisão não seja fácil, você deve se comprometer com ela. Portanto, é preciso se esforçar um pouco para tornar o seu imóvel mais vendável. Esta é uma boa hora para dividir com a família alguns "tesouros". Que tal doar para os filhos alguns móveis de família, que certamente não irão caber no seu novo apartamento?

    Em termos de ambientes, em geral, menos é mais. Ou seja, tente deixar os cômodos da casa apenas com a mobília necessária: livre-se do excesso que acumulou durante os anos: você vai ter que fazer isso ao trocar de casa, por que não fazê-lo antes e tornar sua casa mais espaçosa? Um exemplo disso em geral é a garagem. É bem verdade que você e seu marido não têm mais carro e, portanto, optaram por usar o espaço como depósito, mas isso pode não ser o caso do comprador!

  • Não aceite sair, antes de ter algo em vista
    É bem verdade que vender uma casa antiga não é uma tarefa fácil, e você finalmente conseguiu alguém interessado. Mas isso não significa que deve concordar em sair imediatamente. Não se esqueça que você não tem mais 20 anos, e não pode se "ajeitar" em qualquer lugar. Mesmo alugar algo temporário exige tempo e dedicação, e você pode não estar disposto a isso.

    Portanto, o ideal é procurar um local para ir, antes de se comprometer com uma data de saída. A adaptação a uma nova propriedade exige tempo. Ser forçado a sair da sua própria casa, sem ter para onde ir, é algo extremamente estressante para qualquer um, mais ainda quando você viveu nesta casa por vários anos, e já não tem o mesmo vigor de antes!

  • Novo imóvel é para o resto da vida
    Esta provavelmente será sua última casa, e é preciso levar isso em consideração. Analise com cuidado a localização, visite o local mais de uma vez em dias diferentes da semana, para evitar surpresas desagradáveis depois da compra.

    A localização é sempre importante na compra de um imóvel, mas no caso de pessoas idosas, ela se faz ainda mais essencial. Mesmo que você ainda esteja dirigindo, isso pode não ser o caso daqui a alguns anos. Portanto, nada de morar no "fim do mundo", longe de tudo e de todos. Opte por uma região que esteja próxima dos seus amigos e familiares; você não quer morar em um lugar onde leva quase uma hora para ir visitar os seus netos. Além de caro, o que deveria ser prazeroso se torna extenuante.

    Dependendo da sua situação financeira, você pode contar com o apoio de várias pessoas em sua casa, mas em alguns casos isso não acontece, e você deve prever a necessidade de ter que ir ao supermercado a pé, por exemplo. Prefira regiões em que haja comércio próximo, você pode sempre aproveitar para dar um passeio à tarde no shopping, ou quem sabe ir a um cinema?

    Antes de mudar, talvez valha a pena investir em alguns aspectos de segurança na sua nova casa, como, por exemplo, evite revestimentos que sejam escorregadios no chão, coloque barras de apoio nos banheiros etc. Quando possível, evite imóveis com mais de um plano, ou com garagens difíceis de manobrar. Procure um imóvel menor, mas que tenha espaço caso você, no futuro, precise contratar alguém em tempo integral para ajudar nas tarefas do dia-a-dia.

Quem passou toda a sua vida adulta em um mesmo imóvel certamente enfrentará várias dificuldades de adaptação em uma nova propriedade. Exatamente por isso trata-se de uma situação que exige muita reflexão, sua maior preocupação não é exatamente o retorno do investimento, mas o custo de manutenção e a qualidade de vida que essa nova propriedade lhe permitirá ter.

É recomendável que se procure ajuda nesse processo decisório, converse com amigos que passaram por uma situação semelhante, com seus familiares, e só quando estiver convencido de que isso é o melhor a ser feito, procure a ajuda de um corretor imobiliário.

 

Contato