Em minhas-financas

Intenção de compra de bens duráveis cresce 2,2% em um mês

De acordo com estudo da FGV, intenção passou de 78,1 pontos para 79,8 pontos entre janeiro e fevereiro

SÃO PAULO - O indicador que mede a intenção do consumidor de comprar bens duráveis cresceu em fevereiro, na comparação com janeiro.

Segundo dados da Sondagem de Expectativas do Consumidor, divulgada nesta sexta-feira (24) pela FGV (Fundação Getulio Vargas), a intenção do consumidor de adquirir bens avançou 2,2%, passando de 78,1 pontos em janeiro para 79,8 neste mês.

Já na comparação com fevereiro de 2011, o indicador mostrou queda de 7,4%.

Perspectiva
Os dados da pesquisa mostram ainda que cresceu de 15,9% para 17,8% a parcela de consumidores que acreditam que a intenção de comprar um bem durável irá crescer.

A parcela dos pessimistas também registrou alta, uma vez que o número dos que acreditam que a intenção irá cair foi de 37,8% para 38% no mesmo período.

Na comparação com fevereiro de 2011, é possível notar que, hoje, o número de otimistas é menor e o de pessimistas é mais alto. Naquela época, 17,9% se declararam mais dispostos a comprar bens duráveis, enquanto 28% disseram o oposto.

Juros e inflação
A pesquisa ainda analisa a opinião dos consumidores com relação às taxas de juros e à inflação. No primeiro caso, os dados mostram que 29,6% dos brasileiros acreditam que os juros irão subir, ante 30,9% que responderam o contrário.

A respeito da inflação, a sondagem mostrou uma expectativa de alta de 6,5% nos preços para os próximos 12 meses. Em janeiro, a expectativa para os 12 meses seguintes era de 6,7%.

 

Contato