MERCADOS AO VIVO IPO: ações da Allied estreiam na B3 próximas à estabilidade

IPO: ações da Allied estreiam na B3 próximas à estabilidade

No RJ e em SP, maioria pagou o presente do Dia das Mães com cartão de crédito

Enquanto na capital paulista, 56% dos consumidores usaram o plástico, no RJ, esse percentual foi maior, de 77,5%

SÃO PAULO – De acordo com a sondagem da Fecomercio-SP (Federação do Comércio do Estado de São Paulo), a maioria dos consumidores da capital paulista comprou o presente do Dia das Mães com cartão de crédito.

Isso porque 56% deles utilizaram o plástico, contra 33% dos filhos que optaram pelo pagamento à vista. O uso do cheque pré-datado, por sua vez, somou 9% das compras.

A preferência pelo cartão de crédito para pagar o presente na data comemorativa não foi exclusividade dos paulistas. Segundo a Fecomercio-RJ (Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro), 77,5% dos moradores do Rio de Janeiro optaram pelo parcelamento no cartão, enquanto apenas 12,2% pagaram à vista.

Promoções

Segundo o levantamento feito na capital paulista, o número de promoções aumentou em 2009. Para aproveitar a data, 60% dos lojistas fizeram algum tipo de promoção, contra 45% em 2008.

As principais promoções foram as ofertas relâmpagos (47%) e os descontos (26%). Já as ações publicitárias para elevar as vendas foram utilizadas por 31% dos lojistas, ante 69% que não se utilizaram desse suporte.

Segundo o economista da Fecomercio, Fábio Pina, apesar de modesta, as vendas no Dia das Mães foram positivas, principalmente se levada em conta a conjuntura de crise.

Produtos mais em conta

Para o coordenador do Núcleo de Economia e Pequisas da Fecomercio-RJ, João Carlos Gomes, mais consumidores foram às lojas, as vendas foram maiores do que no ano passado, mas as pessoas não estão alheias à crise e não querem adquirir financiamentos variados e de prazo longo, comprometendo a renda sem planejar.

“A incerteza faz parte do atual cenário, o que incentivou a venda de produtos de valor mais em conta. Entretanto, no caso de incentivos pontuais, como a redução de IPI [Imposto sobre Produtos Industrializados] para a linha branca, o consumidor aproveita a oportunidade, como mostrou o resultado acima da média de utensílios para o lar”, analisou Gomes.

Gasto médio

A entidade carioca ainda avaliou o gasto médio por cliente, o qual foi de R$ 148,46, valor abaixo dos R$ 151,70 registrados em 2008.

PUBLICIDADE

Essa redução foi puxada, principalmente, pelo recuo das compras nas faixas entre R$ 300,01 e R$ 500 por pessoa, as quais recuaram de 9% para 6,8%.