“Não vou dançar no Tik Tok”, diz Nath Finanças sobre como usa as redes sociais para informar

Influenciadora abre o jogo sobre sua dificuldade em estar nas plataformas digitais

Suzana Liskauskas

Nath Finanças

Publicidade

A briga pelos likes não vai fazer a influenciadora Nathália Rodrigues, mais conhecida como Nath Finanças, dançar no Tik Tok. “Eu não vou dançar, já avisei para a minha equipe”, diz. Para a administradora, que se tornou uma das maiores influenciadoras em educação financeira do país, o importante é falar o que sua audiência pode utilizar no dia a dia para organizar sua vida financeira.

No Smart Summit 2024, evento que conta com a cobertura especial do InfoMoney, Nath confessou sua dificuldade em fazer postagens instantâneas no Tik Tok e no Reels, do Instagram, durante sua fala no painel “Segue a #Trend: a invasão dos FinInfluencers nas mídias sociais revoluciona ou prejudica a educação financeira?”.

Mas isso não significa que Nath Finanças vá deixar de aproveitar um gancho ou seguir tendências. Hoje, a caminho do Smart Summit 2024, a influenciadora quebrou essa barreira ao fazer uma postagem, no carro, sobre um comentário de Davi Brito, participante da atual edição do BBB. Ele abordou com os parceiros de confinamento que é possível viver experiências sem ultrapassar o limite de gastos. A fala do brother serviu de gancho para Nath Finanças escrever sobre organização financeira.

Masterclass

O Poder da Renda Fixa Turbo

Aprenda na prática como aumentar o seu patrimônio com rentabilidade, simplicidade e segurança (e ainda ganhe 02 presentes do InfoMoney)

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Para a influenciadora, só faz sentido pegar uma carona nas tendências das redes sociais se o tema tiver alguma afinidade com o nicho de atuação.

“Em 2020, quando os juros começaram a subir (Taxa Selic), todo mundo começou a falar de ações, mas eu continuei a falar para o meu público, que é a população de baixa renda, que estava com financiamento atrasado e precisava do auxílio emergencial, precisava desse dinheiro para comer”, afirma Nath.