Impostos

Mesmo com alíquota maior, cai a arrecadação de IPI em junho, diz Receita

Considerado como "principal termômetro" da atividade econômica da indústria, o IPI tem reduzido sua arrecadação para o governo por conta da crise enfrentada pelas fábricas no País

Mesmo depois de ter sido elevado pelo governo federal em janeiro, o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) continua registrando uma arrecadação menor para a Receita Federal em 2015 na comparação com o ano passado. Em junho, o IPI total (exceto aquele vinculado às importações) rendeu R$ 2,4 bilhões aos cofres do Fisco, resultado 22,4% menor do que no mesmo mês de 2014. No acumulado entre janeiro e junho deste ano, a arrecadação com o IPI atingiu R$ 16,7 bilhões, desempenho 11,5% mais baixo do que ano passado.

 

Considerado como “principal termômetro” da atividade econômica da indústria, o IPI tem reduzido sua arrecadação para o governo por conta da crise enfrentada pelas fábricas no País, segundo informações do próprio governo.

PUBLICIDADE

 

Até dezembro do ano passado, o IPI estava com alíquotas reduzidas para a indústria automobilística. Mesmo depois de ter sido recomposta em janeiro, a tabela do IPI não tem rendido ao governo o mesmo nível de arrecadação verificado no ano passado.

 

PIS/Cofins
A arrecadação do PIS e da Cofins também teve redução em junho na comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo a Receita Federal. As receitas com Cofins somaram R$ 16,413 bilhões no mês passado, o que representou uma queda de 7,44%. Já as com o PIS/Pasep somaram R$ 4,439 bilhões, uma baixa de 6,13%.

 

O resultado, de acordo com o órgão, decorreu da conjugação de vários fatores. Entre eles, a Receita cita o decréscimo real de 10,4% do volume de vendas em maio deste ano na comparação com o mesmo período de 2014, compensações tributária e o aumento das alíquotas sobre combustíveis e sobre a importação.

PUBLICIDADE

 

Já nos primeiros seis meses deste ano, a arrecadação com a Cofins apresentou queda de 3,61% sobre o primeiro semestre de 2014, o que representou um total de R$ 101,463 bilhões. No caso do PIS/Pasep, houve baixa de 3,26% no mesmo período de comparação, para R$ 27,531 bilhões.

 

A Receita também citou a redução do volume de vendas de dezembro de 2014 a maio deste ano em relação ao mesmo período de um ano antes, de 5,09%, como um dos fatores que influenciaram a diminuição da arrecadação desses tributos.

 

Além disso, mencionou a queda de 22,9% das importações do período. Por outro lado, constatou a arrecadação extraordinária de R$ 1,1 bilhão em fevereiro e a alteração nas alíquotas de PIS/Cofins sobre gasolina, diesel e produtos importados.