Em minhas-financas / impostos

IR: "jeitinho" para pagar menos imposto pode deixar na malha fina contribuinte PJ

Efeito reforma trabalhista pode levar contribuinte a optar por receber pró-labore menor só para não pagar imposto, alerta tributarista

contas a pagar impostos taxas
(Shutterstock)

SÃO PAULO - O prazo para a declaração do Imposto de Renda 2019 vai até 30 de abril. Dentre várias dúvidas que podem surgir, o efeito da reforma trabalhista na declaração é uma delas.  

Segundo Gabriel Quintanilha, professor de direito tributário da Universidade Veiga de Almeida, na prática as alterações nas relações empregado e empregador definidas com a reforma praticamente não mudaram a maneira como o trabalhador deve fazer a declaração do imposto de renda 2019.

Ele faz, contudo, um alerta importante no que diz respeito aos efeitos da reforma trabalhista na hora de declarar: o contribuinte que presta serviço como pessoa jurídica (PJ) não deve receber menos pró-labore para diminuir o imposto. 

“A pessoa física tem duas formas de receber a remuneração da pessoa jurídica: via pró-labore ou distribuição de lucro. No primeiro caso, [a remuneração] é tributável seguindo a tabela regressiva e indo até 27,5%; no segundo, é isento de imposto”, explica Quintanilha. 

Como, de acordo com as regras atuais, a pessoa que tem um pró-labore abaixo de R$ 1.903,98 por mês é isenta de imposto, há quem aplique um "jeitinho" para entrar na faixa de isenção mesmo recebendo mais.

"Muitos trabalhadores decidem receber um valor muito baixo via pró-labore para não pagar imposto", comenta o tributarista. Mas a Receita Federal pode considerar essa conduta abusiva e fraudulenta, além de aplicar uma multa.

Segundo ele, uma pessoa não pode decidir receber menos dinheiro via pró-labore para não pagar imposto e o restante optar por receber via distribuição de lucros. "Isso não é permitido. O pró-labore deve ser condizente com a mão de obra realizada pelo contribuinte”, explica. Caso contrário, as chances de cair na malha fina são grandes. 

Resumidamente, portanto, se a pessoa for contratada como PJ, deve declarar tanto o pró-labore como a distribuição de lucro.

Lembrando que o contribuinte deve informar distribuição de lucros na aba de rendimentos não tributáveis da declaração.  

Quer economizar no IR? Receba o Guia do InfoMoney para pagar menos Imposto de Renda - é de graça!

 

Contato