Conteúdo Patrocinado
Oferecido por

Grupo Criteria realiza fusão e mira potencial de crescimento em contratação de seguros

Criteria Seguros e Fatto Financial unem expertise e infraestrutura para conscientizar investidores e se tornarem uma referência no mercado

Criteria Seguros
Carlos Wald Reissmann, CEO do grupo Criteria, e Marcelo Tavella, novo CEO da Criteria Seguros / Foto: Daniel Ferreira

Se a educação financeira vem ganhando espaço entre os brasileiros que despertaram para o tema com o período de juros baixos, o mesmo fenômeno ainda não foi observado no mercado de seguros. Segundo o estudo “People Protection: insights sobre como capacitar uma força de trabalho ágil” *, realizado pela Zurich e Universidade de Oxford em 16 países, apenas 8% dos entrevistados brasileiros possuem seguros de vida, mesmo possuindo uma renda mensal média de R$ 5.561,90.

Com relação à previdência privada, 20% dos entrevistados disseram que contrataram planos para complementar a renda no futuro. Quando comparado com outros países, porém, o Brasil fica para trás, já que na Alemanha e Irlanda, por exemplo, 43% da população já possui um plano.

É visando esse potencial de conscientização e crescimento do setor que a Criteria Seguros e a Fatto Financial uniram forças para ampliar as equipes e a infraestrutura, oferecendo assim um portfólio mais completo de opções para os seus clientes.

“Temos uma inspiração no mercado de investimentos, no qual houve uma profissionalização e aumento de competitividade. Com seguros, isso ainda não aconteceu. Acreditamos que essa será uma segunda tendência do investidor brasileiro, que está aprendendo a investir, mas ainda não está se protegendo como deveria”, afirma Carlos Wald Reissmann, CEO do grupo Criteria.

Com a fusão, a Criteria Seguros passa a contar com um sistema próprio de gestão e dados, além de profissionais técnicos focados para cada solução. A meta é crescer 300% e chegar ao Top 5 de distribuidores da XP Seguros na contratação de seguros de vida ainda em 2021.

Para Marcelo Tavella, novo CEO da Criteria Seguros e profissional com vasta experiência no mercado financeiro e principalmente de seguros, é essencial que a carteira do investidor seja composta por produtos de proteção financeira.

“O seguro de vida é um grande sucesso em países desenvolvidos como os EUA, o Japão e a maior parte da Europa, mas ainda tem baixíssima penetração no Brasil. O mercado brasileiro teve um crescimento significativo em 2020, mas quando comparado aos demais países mencionados ainda possui uma larga distância na participação frente ao PIB do país”, destaca Tavella.

Agora, a Criteria Seguros passa a oferecer produtos para pessoas física e jurídica. Com o seguro de vida como carro-chefe, o marketplace também disponibiliza soluções como planos de saúde, consórcios e home equity, entre outros.

Já a estrutura do setor corporativo contempla opções como seguro garantia, riscos de engenharia e seguro rural, entre outros. “O nosso trabalho é bem pautado na consultoria. Nós selecionamos criteriosamente as melhores soluções do mercado. É por isso que nós conseguimos atender as necessidades e objetivos do cliente, sejam elas de curto, médio ou longo prazo”, completa.

PUBLICIDADE

Para saber mais sobre a Criteria Seguros, acesse aqui.

*O estudo da Zurich e Universidade de Oxford foi realizado com 18.000 indivíduos, sendo 1.145 do Brasil, com idades entre 20 e 70 anos e alguma ocupação no mercado de trabalho.

Importante: A publicação acima é um conteúdo patrocinado, sendo que a Infostocks Informações e Sistemas Ltda. (“InfoMoney”) não tem qualquer responsabilidade pelo conteúdo e informações disponibilizadas, não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações, não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. O autor ou empresa responsável pelo conteúdo estão indicados na própria publicação.