Acordo de 10 anos

Gol e Mercado Livre fecham parceria logística que deve quadruplicar entregas aéreas da varejista

Acordo visa atender especialmente regiões norte e nordeste diminuindo de oito para dois dias o prazo de entrega

Por  Giovanna Sutto -

O Mercado Livre (MELI34) e a Gol Linhas Aéreas (GOLL4) anunciaram nesta terça-feira (19) um acordo de longo prazo focado em logística: a companhia aérea vai fornecer seis aeronaves exclusivas (com cores e logomarca do Mercado Livre) à varejista.

Serão três aeronaves entregues em junho e mais três em 2023. Há a opção no acordo de adicionar mais seis aeronaves até 2025.

“É um modelo de negócio que a Gol está inaugurando no mercado varejista. Hoje o Mercado Livre tem três aeronaves que atendem regiões distantes dos nossos centro de distribuição. Com o acordo passaremos a ter nove aeronaves, triplicando nossa capacidade de voos ao redor do Brasil”, afirma Fernando Yunes, vice-presidente do Mercado Livre no Brasil.

O acordo fará com que o Mercado Livre quadruplique a capacidade de entrega de pacotes por via aérea, passando de 10 milhões para 40 milhões de pacotes por ano.

“Vamos reduzir em 70% a 80% o tempo de entrega para os consumidores no Norte, Nordeste, e em algumas cidades do Sul e Sudeste. Vamos sair de sete a oito dias de entrega nessas regiões para 2 dias de prazo de entrega”, afirma Yunes.

O prazo de entrega para Manaus será de apenas um dia, em comparação com os atuais nove dias, enquanto para destinos no Nordeste esse prazo diminuirá de quatro para um dia. Outras capitais, como Goiânia e Cuiabá, passarão a receber suas encomendas no dia seguinte.

Segundo Yunes, o foco será nas regiões Norte e Nordeste, com 70% da operação focada nas entregas dessas regiões, mas cerca de 30% da operação irá auxiliar entregas em outras regiões do país como Sul e Sudeste.

O Mercado Livre não informou qual o valor do investimento nesta parceria.

“A expansão da frota é vital para avançarmos com a missão do Mercado Livre de democratizar o comércio eletrônico, o que é ainda mais importante em um país de dimensões continentais como o Brasil. Estamos muito otimistas em relação ao nosso acordo com a Gol, e vemos isso como fundamental no fortalecimento de nossa rota de crescimento no e-commerce e na nossa estratégia de expansão regional”, disse Yunes.

Hoje as três aeronaves do Mercado Livre são da Azul (AZUL4) e isso se mantém. Segundo Pablo Navarrette, diretor sênior do Mercado Livre, o acordo com a Gol será o principal feito com companhias aéreas nos próximos anos, mas não impede novos acordos com outras empresas.

Operação da GolLog

O braço de negócio de logística da Gol, a GolLog, que opera serviços de carga para 52 aeroportos e mais de 3.900 destinos no Brasil, é quem fica responsável pela operação do acordo. Por ora, o negócio é focado especialmente no Brasil.

O contrato entre as empresas tem duração de 10 anos, prevê uma frota dedicada de cargueiros composta por seis Boeing 737-800 BCF.

De acordo com Julio Perroti, diretor da GolLog, a empresa planeja expandir sua gama de serviços e aumentar em 80% a sua capacidade disponível em toneladas durante 2023 para gerar receita incremental adicional de aproximadamente R$100 milhões em 2022, e mais de R$1,0 bilhão nos próximos cinco anos – considerando apenas a parceria com a varejista.

Paulo Kakinoff, presidente da Gol, explicou que as seis aeronaves previstas no acordo já estão disponíveis na frota atual da Gol. Elas serão convertidas para versões cargueiras e vão operar exclusivamente para o Mercado Livre.

“O plano de frota da GOL é encerrar esse ano com 136 aeronaves, sendo 44 Boeing 737-MAX 8 e 92 Boeing 737-NG. A introdução das seis aeronaves de carga deverá proporcionar economias no processo de transformação da frota em aproximadamente R$25 milhões em 2022 e outros R$ 75 milhões em 2023. A transformação em curso da Companhia para o 737 MAX também permitirá maior diluição dos custos fixos e gerará novas oportunidades de receitas auxiliares”, afirmou o executivo.

Ele detalhou que as economias milionárias vem da extensão do contrato de uso das aeronaves.

“Quando os contratos de leasing de aeronaves chegam ao fim, há uma série de custos de devolução que pagamos para a empresa que faz o aluguel de aeronaves. À medida que essas aeronaves não serão devolvidas e sim convertidas esses custos serão evitados porque os contratos serão estendidos na versão cargueiro”, disse Kakinoff.

9 formas de transformar o seu Imposto de Renda em dinheiro: um eBook gratuito te mostra como – acesse aqui!

 

Compartilhe