Combustíveis nas alturas

Gasolina acumula alta de 58,5% em 2 anos, aponta levantamento

Combustível saiu de R$ 4,598 o litro para R$ 7,288 no período; alta é de 27,26% em 12 meses e de 5,94% em apenas um mês

Por  Reuters -

O preço médio da gasolina nos postos do Brasil atingiu o maior valor em dois anos, fechando o mês de março em R$ 7,288 o litro, segundo levantamento da ValeCard, empresa especializada em soluções de gestão de frotas.

O combustível já acumula alta de 58,5% na comparação com março de 2020, quando o preço médio era de R$ 4,598, e também se valorizou nos últimos 12 meses (+27,26%) e na comparação mensal, com fevereiro deste ano (+5,94%).

A Petrobras, que responde pela maior parte do abastecimento do Brasil, anunciou no mês passado um megarreajuste de 19% na gasolina nas refinarias, em meio à valorização do petróleo por causa da guerra na Ucrânia.

Os dados da ValeCard também apontam que o preço da gasolina não diminuiu em nenhum estado em março e que as maiores altas foram no Piauí (+12,68%), no Rio Grande do Norte (+8,86%) e no Paraná (+8,70%).

A empresa monitora os preços de combustíveis por meio das transações realizadas com seu cartão de abastecimento em cerca de 25 mil estabelecimentos credenciados.

Etanol também subiu

O etanol anidro teve uma alta de 2,51% em março, chegando a R$ 4,852 o litro, e o combustível se mostrou mais vantajoso que a gasolina em 4 estados: Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais e São Paulo.

Para chegar à conclusão, a ValeCard considera que o etanol é mais vantajoso quando o preço médio do litro é inferior a 70% do preço da gasolina.

9 formas de transformar o seu Imposto de Renda em dinheiro: um eBook gratuito te mostra como – acesse aqui!

Compartilhe