Funcionário com acesso privilegiado a dados ameaça mais do que hacker

Quando o assunto é segurança da informação, usuários internos causam mais perdas às empresas do que qualquer outra ameaça

SÃO PAULO – Em uma lista de ameaças à segurança dos dados das empresas, funcionários com acesso privilegiado a dados ocupam o primeiro lugar, sendo responsáveis por 75% dos casos. Para se ter uma idéia, os hackers figuram no quinto lugar do ranking, com apenas 1%.

A constatação é do estudo “A incerteza da detecção de violação de dados”, realizado pelo Instituto Ponemon, a pedido da Compuware, que comercializa soluções que ajudam a gerenciar negócios.

Ameaça real

Ainda segundo o estudo, 79% dos entrevistados já sofreram com pelo menos um episódio de perda de informações, sendo que 41% dessas situações aconteceram em ambientes mainframe, colocando em risco uma série de documentos confidenciais – já que mais de 80% dos dados gerados por governos e corporações, em todo o mundo, são baseados nesta plataforma.

Na opinião do diretor de Pesquisas do Gartner, Perry Carpenter, “as empresas precisam reconhecer que confiar plenamente em seus funcionários pode impactar negativamente a segurança e o interesse dos negócios”.

“A privacidade de dados tornou-se uma questão crítica para o negócio. O estudo demonstra que a quantidade de informações pessoais e corporativas geradas a cada dia estão sobrecarregando as organizações, que não conseguem garantir sua confidencialidade”, explica o fundador do Instituto Ponemon, Larry Ponemon.

A pesquisa foi realizada com cerca de 3,6 mil profissionais de tecnologia da informação da Alemanha, França, Reino Unido e Estados Unidos.