Por Dentro dos Resultados

Falta de peças e má qualidade de matérias-primas: como a Tupy driblou o cenário para ter resultado recorde

Fernando de Rizzo e Thiago Struminski, CEO e CFO do grupo, participaram de live do InfoMoney e falaram sobre aumento de payout, Teksid e investimentos

Por  Anderson Figo -

SÃO PAULO — A falta de peças em alguns setores da economia, efeito negativo da pandemia, provocou paralisações temporárias em algumas fábricas no segundo trimestre de 2021. Não foi o único desafio do período: as empresas também tiveram que lidar com má qualidade de matérias-primas e aumento de custos.

Ainda assim, a Tupy (TUPY3), que produz ferro fundido e faz parte da cadeia de produção de diversos setores, conseguiu ter desempenho recorde entre abril e junho: a receita líquida chegou a R$ 1,645 bilhão no período, 155% acima do valor visto um ano antes, enquanto o lucro líquido ficou em R$ 31 milhões, revertendo prejuízo de R$ 15 milhões do segundo trimestre de 2020.

Para o CEO do grupo, Fernando de Rizzo, um dos motivos para o bom desempenho da Tupy no período foi a preparação que ela fez para a retomada global. “Nós preparamos a companhia para um crescimento maior. Nós estamos esperando um volume maior porque a nossa carteira de pedidos indicava isso. Nós geramos dois mil empregos este ano na companhia. Religamos equipamentos da nossa capacidade ociosa que estavam desligados”, disse.

“E também fizemos transferência de produtos entre as plantas para gerar espaço para vender mais. Porém, essas paradas repentinas de clientes por falta de semicondutores e outros componentes acabaram reduzindo nossa receita. Apesar de ter sido recorde, ela poderia ter sido maior”, completou o executivo em live do InfoMoney.

A live faz parte do projeto Por Dentro dos Resultados, em que o InfoMoney entrevista CEOs e diretores de importantes companhias de capital aberto, no Brasil ou no exterior. Eles falam sobre o balanço do segundo trimestre de 2021 e sobre perspectivas. Para acompanhar todas as entrevistas da série, se inscreva no canal do InfoMoney no YouTube.

Leia também: 

Ainda assim, não fossem os desafios remanescentes da pandemia, a Tupy teria apresentado um desempenho financeiro ainda mais expressivo no trimestre. “Teríamos produzido cerca de 12 mil toneladas a mais no período, o que geraria uma receita adicional de cerca de R$ 150 milhões. Sem contar na má qualidade de matérias-primas que recebemos, o que gerou consequências metalúrgicas com impacto negativo de mais uns R$ 35 milhões”, disse o CEO.

Diante da performance, junto com o resultado a companhia anunciou o pagamento de juros sobre o capital próprio no montante de R$ 19 milhões. O CFO do grupo, Thiago Struminski, que também participou da live, disse que a empresa pode elevar o payout no curto prazo caso continue com forte geração de caixa e não consiga concretizar algum projeto de M&A (fusão e aquisição) nos próximos trimestres.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“São muitas discussões ainda [sobre a reforma tributária no Congresso], a gente precisa esperar um pouco para entender qual será o real impacto sobre as nossas operações. No curto prazo, parte dessa decisão de aumentar o pagamento de JCP é justamente para maximizar esse benefício de forma trimestral, para evitar que a gente perca esse benefício mais para frente”, afirmou o diretor financeiro da Tupy.

Os executivos falaram ainda sobre o impacto da reforma tributária que está em análise no Congresso brasileiro, sobre o pacote de infraestrutura aprovado nos Estados Unidos, sobre o aumento da taxa Selic aqui no Brasil, o repasse do aumento de custos aos clientes e a aprovação da integração com a Teksid: “esperamos que aconteça em outubro. Com isso, vamos ter acesso a quase todas as plataformas de componentes do Ocidente”, destacou de Rizzo. Assista à live completa acima, ou clique aqui.

Você pode fazer da Bolsa a sua nova fonte de renda. Inscreva-se, participe gratuitamente do maior evento de Trade do Brasil e aprenda como ganhar dinheiro com ações.

Compartilhe