Em minhas-financas / cartoes

Empresas oferecem empréstimo em alternativa ao parcelamento nos cartões de crédito

Empréstimo com imóvel e veículo com garantia e feito totalmente online garante taxas mais baixas de juros

compras - consumo - cartão de crédito - débito
(Shutterstock)

SÃO PAULO – As regras para o uso do rotativo do cartão de crédito mudaram a partir desta segunda-feira (3) e o pagamento do valor mínimo das próximas faturas poderá ser feito apenas uma única vez. Depois disso, o valor da fatura seguinte poderá ser parcelado e as operadoras dos cartões garantem que vão oferecer juros mais baixos do que os praticados no rotativo, que chegaram a 486,6% a.a. em 2016, enquanto os juros do parcelamento da fatura foram de 160% a.a em média.

 Na briga pelos consumidores que já estão enrolados com o cartão de crédito, que muitas vezes se soma a outras dívidas, empresas de tecnologia financeira – conhecidas como fintechs – prometem crédito mais fácil e mais barato do que os oferecidos por bancos e operadoras de cartão de crédito.

 A Creditas é uma dessas empresas, onde os juros começam em 1,15% ao mês, para quem tem um imóvel para oferecer como garantia de pagamento, e em 1,99% ao mês para quem tem um veículo.

 A garantia para o empréstimo é o que permite à empresa oferecer crédito com custo médio de 35% a.a. com garantia de veículos e de 19% a.a. com garantia de imóveis – valores bem menores que o oferecido pelas operadores de crédito em 2016. A Fintech faz empréstimos com prazo de até 20 anos de pagamento com imóvel de garantia e até seis anos quando a garantia é um veículo.

 Sérgio Furio, CEO da Creditas, conta que o prazo médio para liberação do empréstimo é de 48 horas – quando a garantia é um veículo e os valores são naturalmente menores. Apostando na redução dos juros com um imóvel ou veículo como garantia de empréstimo a Creditas alcançou carteira de R$ 135 milhões no ano passado.

 A garantia também eleva as chances de o consumidor ver sua proposta de empréstimo aprovada. “Ele tem o dobro de chances do que a proposta sem garantias”, conta Furio. Mesmo quem já está com o nome negativado tem chances de conseguir a aprovação. “Nós olhamos o nível do comprometimento da renda com dívidas e a capacidade de pagamento”, explica o CEO da Creditas.

 Serviço semelhante é oferecido pela Geru, mas sem garantias para o empréstimo. As taxas de juros variam de 2% a 5% ao mês. O fundador da Geru, Sandro Reiss, explica que em 10 minutos é possível fazer todo o processo online da solicitação do empréstimo e a resposta é dada em um dia útil. O prazo para o pagamento varia de 12 a 36 meses.

 “As pessoas que nos procuram estão geralmente refinanciando dívidas, 60% dizem que pegam o empréstimo para pagar dívida mais cara ou fatura de cartão de crédito que não tiveram recursos para pagar”, conta Reis.

 Ambas as fintechs disponibilizam o serviço totalmente online, inclusive o envio de documentos, e garantem que as taxas oferecidas são mais vantajosas mesmo ante os empréstimos consignados. Em 2016 os juros do consignado privado foram de 43,8% a.a. e o consignado público - para funcionários público e pensionistas - fechou em 27,4% aa.

Para efeito de comparação, o parcelamento da fatura do Bradesco sai por juros de 3,6% a 9,8% ao mês, enquanto o Santander cobra de 2,99% a 9,99% a.m. O Nubank reduziu suas taxas de parcelamento e anunciou juros entre 2,5% a 9,75% a.m. após as mudanças no rotativo. 

 

Contato