Em minhas-financas / cartoes

Para diretor de RI, prévia de resultados da CSU reforça êxito da reestruturação

"Resultados assim superam expectativa de qualquer um", comemora Décio Burd, otimista com desempenho em 2009

v class="show-for-large id-0 cm-clear float-left cm-mg-40-r cm-mg-20-b" data-show="desktop" data-widgetid="0" style="">
SÃO PAULO - A prévia dos resultados do primeiro trimestre da CSU CardSystem (CARD3) surpreendeu o diretor de Relações com Investidores, Décio Burd, ao mostrar "crescimento acentuado" em relação a um 2008 onde a empresa já estava colhendo frutos da reestruturação operacional. Mais uma dose de confiança para 2009.

"Resultados assim no primeiro trimestre superam a expectativa de qualquer um", declarou em tom satisfeito à InfoMoney nesta quarta-feira (8). O executivo não apontou um fator isolado como determinante para o desempenho trimestral: "O avião não sobe por causa de uma coisa só, e não cai por uma coisa só".

De acordo com dados preliminares, a administradora de meios eletrônicos de pagamento lucrou R$ 4,3 milhões nos primeiros três meses do ano, uma expansão de 168,8% ante o ano passado. Segundo Burd, a mudança de "topologia operacional", a redução de custos e a preparação tecnológica trabalharam juntos para isso.

Otimismo
A base de cartões processados da CSU cresceu 18,2% no acumulado de março de 2008 até março de 2009, alcançando 20,8 milhões. "Com certeza sem a crise teríamos resultados melhores, mas esse é espetacular", comemora o diretor de RI, enfatizando o impacto limitado da crise neste negócio.

Outro ponto destacado é a agressividade da área comercial. Mas evitou falar em algo concreto no que diz respeito ao firmamento de novos contratos dos chamados cartões híbridos para redes de varejo. "Não tenho como fazer qualquer tipo de guidance, mas teremos boas surpresas", resumiu Burd.

As ações ordinárias da companhia fecharam em alta de 1,39%, cotadas a R$ 3,65 na BM&F Bovespa. No ano, acumulam valorização de 58%. "Mesmo assim são papéis muito baratos, de extremo valor", acrescentou. No ano passado, a CSU lucrou R$ 9,5 milhões, revertendo dois anos de prejuízo.

 

Contato