Cartão de crédito segue no topo das dívidas: saiba usá-lo de forma consciente

Usando o plástico de forma consciente, é possível não só evitar dívidas, mas também organizar as finanças

SÃO PAULO – Pesquisa da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) revela que, para 69,8% das famílias endividadas, o cartão de crédito continua sendo apontado como o principal vilão do orçamento.

Isso acontece porque, diante da facilidade do crédito pré-aprovado, muitas pessoas, por falta de planejamento, se perdem nas contas, atrasando fatura, não honrando o pagamento das compras parceladas ou optando pelo pagamento mínimo. Atitudes assim acarretam a incidência de multa e juros de mora, um dos mais altos entre as modalidades de crédito atualmente.

10 passos para transformar o vilão em mocinho
Usando o plástico de forma consciente, é possível não só evitar dívidas, mas também organizar as finanças.

Dessa forma, é possível reverter a situação e fazer do “vilão” um aliado do orçamento. Saiba como!

  1. Fique atento ao vencimento da fatura – Ao atrasar o pagamento, mesmo que por um dia, o consumidor já arca com a multa por atraso. Além disso, existe a cobrança de juros de mora sobre o saldo financiado, cobrada de forma proporcional ao período de atraso.
  2. Concilie o vencimento de sua fatura com a entrada de seus rendimentos – Tente acertar o vencimento de sua fatura para data posterior ao dia do seu pagamento. Ao contrário, dificilmente você conseguirá se programar para pagar a fatura em dia.
  3. Evite pagar apenas o mínimo da fatura – Se não pagar integralmente o valor expresso na fatura, estará automaticamente entrando na modalidade de crédito do seu cartão. Nesse caso, terá de pagar juros sobre o saldo financiado, proporcionais ao período durante o qual o valor for financiado.
  4. Fique de olho no detalhamento da fatura – Confira a fatura detalhada e verifique se todos os gastos que constam na conta foram realmente realizados. Caso perceba qualquer inconsistência, entre em contato com a administradora e conteste o débito.
  5. Controle o percentual da renda comprometido com dívidas no cartão – Evite comprometer mais do que 30% de sua renda com dívidas no cartão; afinal, você precisa acomodar todos os outros gastos, alguns deles bem elevados, como habitação, alimentação, transportes e educação, com os 70% restantes.
  6. Fique atento às compras parceladas – Normalmente, é possível comprar de forma parcelada e sem a incidência de juros por meio do plástico. No entanto, é importante atentar se realmente não existe a cobrança de juros e se, de acordo com seu orçamento, será possível honrar com as parcelas mensalmente.
  7. Fique atento ao limite de crédito – Muitas pessoas acreditam que o limite de crédito é mensal, o que não é verdade. O limite de crédito é único e, à medida que você utiliza o plástico, ele diminuiu, sendo restabelecido conforme o pagamento da fatura. Assim, se você comprar algo em 10 vezes, terá o limite comprometido por dez meses.
  8. Conheça os encargos do plástico – Além de multas e juros por atraso, fique atento ao valor da anuidade, aos encargos cobrados em operações de saque, tanto no Brasil como no exterior, juros em parcelamento (se houver), além de como funciona o pagamento de compras feitas com o cartão fora do país.
  9. Cuidado ao utilizar mais de um cartão – Ao possuir mais de um cartão, é possível planejar as compras com diferentes datas de vencimento de fatura. No entanto, é necessária muita organização para não ser perder nas contas, exceder limites etc. A opção é indicada somente para consumidores mais conscientes e organizados.
  10. Use o plástico de forma consciente – Com o planejamento das compras, o pagamento da fatura em dia e em sua totalidade, o cartão de crédito pode, sim, ser um aliado do orçamento. Com ele, é possível planejar pagamento, parcelar sem juros, sem falar na praticidade e segurança de não precisar andar com dinheiro vivo no bolso.