Novas medidas

Caixa anuncia descontos e pausa em financiamentos imobiliários por até 6 meses; veja como vai funcionar

Segundo Pedro Guimarães, presidente do banco, as medidas são uma tentativa de auxiliar os clientes diante do avanço da pandemia de Covid-19

SÃO PAULO – A Caixa Econômica Federal anunciou nesta segunda-feira (7) que vai oferecer aos seus clientes suspensão ou redução das prestações do financiamento imobiliário por um prazo de até seis meses. Segundo Pedro Guimarães, presidente do banco, as medidas são uma tentativa de auxiliar os clientes diante do avanço da pandemia de Covid-19.

Será possível reduzir até 25% da prestação do financiamento por até seis meses, ou reduzir entre 25% e 74,99% do valor da prestação por até 3 meses. “A redução acima de 75% da prestação será possível, mas mediante comprovação de renda e avaliação da Caixa”, explicou Guimarães em transmissão ao vivo.

O pedido dos descontos deve ser feito diretamente pelo aplicativo Habitação da Caixa. A opção estará disponível para todos os clientes que desejem negociar os valores com o banco.

Ao final dos meses de redução na prestação, a cobrança volta ao valor normal e os descontos concedidos no período serão cobrados proporcionalmente até o final do contrato de financiamento. “O acréscimo [no valor da prestação] será muito pequeno e ao longo do tempo. Geralmente, esses contratos ainda têm 10, 15 anos restantes. Se usar redução de 25% em seis meses, não vai voltar num mês só ou em seis meses, volta ao longo do tempo restante do financiamento”, afirmou Guimarães.

Leia também:
• Precisa de crédito? Planilha para calcular empréstimos ajuda a simular as melhores opções

O presidente do banco não especificou quanto tempo demora, em média, a aprovação dos descontos.

Pausa no financiamento

Ainda, Guimarães anunciou que também será possível fazer uma pausa no pagamento dos financiamentos imobiliários. Nesse caso, há um público específico. “Essa pausa é oferecida ao público que está recebendo auxílio emergencial e aos que estão recebendo o seguro desemprego. A Caixa vai arcar com essas parcelas durante a pausa, que pode durar até seis meses. Temos os dados desse público para garantir que de fato a pessoa se encaixa nas condições citadas, então o atendimento será agilizado”, disse.

O pedido da pausa também pode ser feito pelo aplicativo Habitação da Caixa ou no número 0800 104 0104.

Otimismo com resultados

Guimarães destacou durante a live desta manhã os resultados do banco federal em 2021. Houve um aumento de 41,2% no volume de crédito imobiliário contratado, na comparação entre janeiro a maio de 2020 com os mesmos meses de 2021. “Comparado com o mesmo período de 2019, o aumento foi de 64,8% – incluindo FGTS, ou seja, Casa Verde e Amarela, e recursos da Poupança. Em valores, foram R$ 52,4 bilhões em 2021”, ressaltou o executivo.

PUBLICIDADE

Considerando apenas os contratos com recursos da Poupança, o banco atingiu R$ 29,6 bilhões em 2021, também considerando o período entre janeiro a maio. A alta representa 112,9% a mais do que o visto em 2020, e está 284,4% acima do valor registrado em 2019.

“Entendemos que é o papel da Caixa, como banco da habitação, manter a liderança no financiamento para a baixa renda. Mas também é importante atendermos a classe média. Isso gera emprego, e gera resultado para a Caixa. Entendemos que investir nesse segmento que atende a classe média é crucial para nossa estratégia, e impulsionou nossos resultados”, avalia Guimarães.

Ainda, o executivo ressaltou que a linha de financiamento corrigida pela poupança, anunciada em fevereiro deste ano, já representa mais de 40% dos contratos até maio de 2021 (saiba aqui como funciona essa modalidade).

Para entender como operar na bolsa através da análise técnica, inscreva-se no curso gratuito A Hora da Ação, com André Moraes.