Pandemia

Brasil registra a primeira morte confirmada por ômicron; vítima tem 68 anos e morava na região metropolitana de Goiânia

Paciente estava vacinado, mas tinha doença pulmonar crônica e hipertensão

Por  Dhiego Maia -

O primeiro caso de morte por ômicron no Brasil foi confirmado nesta quinta-feira (6). Trata-se de um homem, de 68 anos, que estava internado em uma unidade hospitalar de Aparecida de Goiânia, cidade da região metropolitana de Goiânia.

A variante foi descoberta na África do Sul, em 24 de novembro de 2021, e, desde então, se espalhou rapidamente por diferentes nações e vem sendo apontada como a responsável pela piora recente dos indicadores globais da pandemia.

Segundo a Secretaria de Saúde da cidade, a confirmação da presença da ômicron no organismo do paciente ocorreu por meio de sequenciamento genético.

A vítima estava vacinada com as três doses contra o coronavírus, mas tinha comorbidades que dificultaram a evolução do quadro clínico, como doença pulmonar obstrutiva crônica e hipertensão arterial.

Segundo comunicado oficial, o idoso foi infectado por uma outra pessoa que também testou positivo para a nova variante — a condição clínica desta segunda pessoa não foi divulgada.

Aparecida de Goiânia diz estar sob transmissão comunitária de ômicron há dez dias. Até o momento, o município sequenciou 2.386 amostras de casos suspeitos de coronavírus. Destas, 55 tiveram a confirmação para ômicron, cuja prevalência atingiu a casa dos 93,5%.

Gustavo Mendanha, prefeito de Aparecida do Norte, lamentou o primeiro óbito por ômicron na cidade e prometeu continuar a rastrear a dinâmica do coronavírus por lá. “Determinei a ampliação do Programa de Vigilância Genômica para que possamos acompanhar o avanço de qualquer nova variante e hoje, com tristeza, recebi a notícia da primeira vítima fatal da ômicron”, disse, por nota.

Pouco mais de 825 mil doses de vacinas contra a Covid-19 já foram aplicadas em Aparecida de Goiânia. O secretário de Saúde, Alessandro Magalhães, explica que a vacinação é muito importante porque reduz as chances de complicações e óbitos.

“Nós perdemos um paciente vacinado, mas que tinha problemas crônicos de saúde, que são importantes fatores de risco da Covid-19. Infelizmente, ele não resistiu. Uma vida perdida em meio a milhares salvas pela imunização”, afirmou.

“Em 12 de dezembro, após investigação epidemiológica, identificamos os primeiros casos suspeitos de contaminação pela ômicron e solicitamos o sequenciamento de suas amostras. A confirmação foi um alerta para todo o estado de Goiás”, informou a Superintendente de Vigilância em Saúde de Aparecida, Daniela Ribeiro.

“Desde então, rastreamos os contatos dessas pacientes e ampliamos o sequenciamento. Em 27 de dezembro confirmamos a transmissão comunitária e agora o primeiro óbito”, complementou.

Cadastre-se na IMpulso e receba semanalmente um resumo das notícias que mexem com o seu bolso — de um jeito fácil de entender:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.
Compartilhe