Em minhas-financas / aposentadoria

Por que o brasileiro não pensa em aposentadoria; e como investir para chegar lá

É uma regra simples: quanto maior o tempo de contribuição, menor será o valor mensal poupado. Mas por que as pessoas não pensam no seu futuro financeiro?   

aposentado-sucesso
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Se aposentar é o sonho de muita gente - e quanto antes melhor. No entanto, o brasileiro não tem o hábito de se preparar para a aposentadoria. Segundo uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), quase 8 em cada 10 brasileiros (78%) admitem que não pensam financeiramente no longo prazo. A pesquisa contou com mais de 3.800 entrevistados.  

É uma regra simples: quanto maior o tempo de contribuição, menor será o valor mensal poupado. Mas por que as pessoas não pensam no seu futuro financeiro? São dois principais pontos que devemos abordar. 

Temos um histórico econômico de juros e inflação altos e isso dificulta o planejamento futuro. "Não conseguimos projetar muitas coisas. Entre outros motivos, porque o poder de compra sempre muda e o cenário econômico conturbado cria uma cultura que não incentiva o planejamento financeiro. Sempre se pensa no curto prazo", explica Antônio Carlos Antunes, planejador financeiro da RJ Investimentos.  

Em segundo lugar, temos a questão do nível da educação financeira no Brasil ser muito baixo. Falta informação, o que consequentemente faz as pessoas se afastarem do assunto. 

O grande problema é que não pensar no futuro vai fazer você deixar de ganhar dinheiro. Ao se preparar com antecedência, você abre a possibilidade de ter uma fase da vida com mais benefícios advindos do tempo que poupou. Se não quer fazer parte da estatística mencionada pela pesquisa do SPC, você deve começar a se preparar para a aposentadoria - não importa quantos anos tenha. 

Como se preparar e não perder dinheiro?

O primeiro passo para começar a traçar seu futuro é fazer um planejamento e construir um plano de ação para alcançar sua meta: a independência financeira. "É preciso se conscientizar que essa organização é necessária. E é importante procurar um especialista no assunto para auxiliar", orienta Antunes. 

Pode ajudar nessa organização fazer uso da escala “GPI: ganhar, poupar e investir”, conforme explica a assessora de investimentos Fernanda Alves. Na prática, quanto mais aplicar essas três coisas na sua vida, mais rápido você chegará à independência financeira. Comece a investir assim que conseguir juntar uma quantia.

Quer começar a investir para alcançar a independência financeira?Abra uma conta na XP. 

Alves sugere uma aplicação de longo prazo para impulsionar seu processo de aposentadoria. É o IPCA+ com vencimentos longos. “Esse título te garante um juro real por muito tempo. É preciso garantir a rentabilidade das suas aplicações não apenas para a fase de acumulação, mas também posterior à aposentadoria. Pois a renda do investidor dependerá do rendimento de suas aplicações pós-aposentadoria”.

A assessora elaborou duas simulações para você entender a importância de colocar seu dinheiro na aplicação mais apropriada.

a) Pessoa A tem 35 anos e saldo inicial zero. Tem perfil conservador e por isso optou sozinho por investir mensalmente R$ 2.000,00 na poupança. Aos 65 anos ele terá acumulado aproximadamente R$ 1.550.000,00 (taxa referencial + 70% da Selic, considerando manutenção em 6,5%).

b) Pessoa B também tem 35 anos e saldo zero. Por ser muito conservador recebeu a orientação de um assessor financeiro para começar a investir mensalmente R$ 2.000,00 na NTNB-2050.  Aos 65 anos essa pessoa terá acumulado aproximadamente R$ 2.420.000,00 (considerando IPCA de 3,5% + 4,9% - menos 15% de IR)

Os cálculos acima não servem como garantia de rentabilidade futura, já que tanto a Selic como o IPCA devem variar ao longo dos anos. “Mas a simulação serve como um bom parâmetro para ilustrar o impacto da assessoria financeira e escolha de investimentos corretos para o bem estar financeiro na aposentadoria”, explica a assessora.

Há também a opção da previdência privada. "Procure previdências privadas de seguradoras independentes que ofereçam planos sem taxa de carregamento - e que têm variedade de produtos financeiros", diz Antunes. Com a diversificação, o investidor está ao mesmo tempo protegido de uma oscilação muito forte em determinado ativo e exposto a possíveis valorizações atraentes ao longo do tempo.

Vale lembrar que não há uma regra sobre em quanto tempo você deve se aposentar, cada pessoa consegue se adaptar e ajustar seu orçamento dentro de um período. Mas se quiser ter uma ideia de quanto precisa, clique aqui.

Contato