Multa e reclusão

Agente de Neymar é condenado por sonegação

Wagner Pedroso Ribeiro cumprirá cinco anos e quatro meses de reclusão em regime semiaberto

Por  Paula Zogbi

SÃO PAULO – Wagner Pedroso Ribeiro, empresário de jogadores de futebol, incluindo Neymar Jr, foi condenado nesta quarta-feira pela Justiça Federal de São Paulo pela prática de crime contra a ordem tributária. A decisão está passível de apelação em liberdade.

A pena estabelecida foi de cinco anos e quatro meses de reclusão, a serem cumpridos em regime semiaberto, e 53 dias-multa, sendo cada dia equivalente a 50 salários mínimos vigentes à época dos fatos julgados.

De acordo com o documento emitido pelo juiz federal Márcio Assad Guardia, da 8ª Vara Federal Criminal de São Paulo/SP, o empresário teria cometido crimes de sonegação entre 2002 e 2005. Deverá ser pago um total de R$ 2.049.095,98, sendo R$ 1,17 milhão em impostos e mais R$ 878 mil em multa. 

Segundo o Ministério Público Federal, autor da ação, o acusado, dolosamente, suprimiu e reduziu imposto de renda ao omitir, nos anos em questão, cerca de R$ 4 milhões emrendimentos tributáveis, e não comprovou as origens de depósitos creditados em suas contas bancárias.

Ribeiro, por sua vez, afirmou em tribunal que os valores correspondiam a devoluções de empréstimos que teria feito, como pessoa física, à sociedade empresária WPR Fomento Mercantil Ltda., da qual é sócio.

“A notória atividade profissional do réu Wagner Ribeiro, ‘empresário’ que intermedeia transações milionárias entre jogadores e clubes de futebol profissional com valores nababescos, dentre os quais Neymar Jr., evidencia sobremaneira que a comissão auferida em uma única transação comercial desse jaez já bastaria para demonstrar peremptoriamente que os valores declarados à administração tributária são manifestamente inferiores aos rendimentos auferidos”, afirma o magistrado.

Durante a fase recursal, Ribeiro não pode sair do país. Seu passaporte ficará retido.

Compartilhe