Yduqs: balanço sofre com provisão e YDUQ3 desaba; tendência pode melhorar em 2024?

Admissão de alunos na modalidade EaD ficou abaixo das expectativa e afeta tendências para companhia

Camille Bocanegra

Fachada da Estácio, uma das empresas da Yduqs (Divulgação)

Publicidade

A Yduqs (YDUQ3) apresentou números vistos como neutros ou ligeiramente negativos de acordo com analistas no balanço do primeiro trimestre de 2024. Apesar de algumas linhas dentro do esperado, a margem apareceu mais pressionada, o que pressionou os papéis da companhia, que lideraram as baixas do Ibovespa. YDUQ3 fechou a sessão desta segunda-feira (13) em queda de 11,85%, a R$ 13,76.

Para o Bradesco BBI, os números, apesar de fracos, vieram de acordo com as expectativas mas o segundo trimestre de 2023 deve trazer recuperação. As linhas impactadas no trimestre, como a margem de lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) e menor admissão no Ensino a Distância (EaD), devem se recuperar no próximo período.

Baixe uma lista de 11 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de crescimento para os próximos meses e anos

Continua depois da publicidade

A visão da XP foi neutra em relação aos números apresentados. O crescimento de receita foi destaque nas três Unidades de Negócios (BUs) e foi impulsionado também por aumentos de tickets no geral, assim como números ligeiramente positivos de captação.

A pressão por aumento de PDD (provisão por devedores duvidosos) foi ressaltada também pela corretora, assim como o Itaú BBA. Apesar de ainda trazer alavancagem considerada alta, a Yduqs tem demonstrado redução gradual. Mesmo considerando os resultados neutros, o Research da XP continua apostando no setor educacional e destaca o “momentum” de resultados.

Apesar do balanço apresentar dados positivos na receita, o Morgan Stanley destaca que o trimestre teve mais pontos negativos. Dentre eles, estão a admissão abaixo do esperado no EaD e a demanda mais fraca. O banco estrangeiro ressalta que é possível que a demanda impacte a competição de preços, que deve se tornar mais agressiva. Apesar de considerar a PDD como algo relevante para o balanço, a principal preocupação do banco é a DIS (Diluição Solidária), que pode se tornar um problema no longo prazo. A DIS é uma campanha que permite aos estudantes pagarem R$ 49 nos primeiros meses do processo de captação e diluir a diferença no valor integral das parcelas.

Continua depois da publicidade

Já receita total e lucratividade ficaram em linha com expectativas, mas com tendências mais suaves, em especial no setor Digital, de acordo com o Itaú BBA. O segmento decepcionou com menores volumes de admissão que o esperado, assim como a pressão de margem de 1,6 pontos percentuais em relação ao ano anterior. O dado é motivado pelo aumento de 53% em despesas com as chamadas PDD no segmento de EaD.

O lucro líquido, apesar de alinhado às orientações quando ajustado, não demonstrou crescimento expressivo sem ajustes (+1%). Os resultados foram considerados negativos pelo BBA, que ressaltou também a ausência de orientações (guidance, em inglês) para o próximo trimestre.

Saiba mais:

Continua depois da publicidade

Confira o calendário de resultados do 1º trimestre de 2024 da Bolsa brasileira

Temporada de balanço do 1º tri ganha força: em quais ações e setores ficar de olho?

Números limpos, aumento de receita líquida mas provisões mais altas que o esperado resumem o balanço para o BTG Pactual. A ausência de efeitos não recorrentes foi suficiente para que a análise considerar o balanço de forma positiva, com números em linha com o esperado.

Continua depois da publicidade

Visão da teleconferência

Um dos principais pontos endereçados pela administração da companhia trata de gastos que impactaram o balanço. O gasto com marketing foi explicado como esperado e parte da estratégia da companhia.

“Como opção nossa, gastamos um pouco mais aqui”, disse Eduardo Parente, CEO da companhia, sobre o aumento de despesas de marketing. Rossano Marques, CFO da Yduqs, destacou que o trimestre foi marcado por crescimento de receita em todos os segmentos, ressaltando o bom desempenho do presencial. Em relação às despesas, o executivo explicou o aumento de PDD como efeito não recorrente, embora tenha aumentado 2%.

“Não, não preocupa, não estagnou”, afirma o CEO sobre o avanço do EaD. O “esgotamento” do segmento foi rechaçado pelo CEO, que considera que há espaço de crescimento considerando a demanda da população por ensino superior. “A gente vai buscar a linha de publicidade por aluno, que a nossa é, disparado, a menor do mercado. Já era planejado desde o início e está perfeitamente alinhado com o plano que fizemos”, comenta.

Continua depois da publicidade

A ampliação do acesso pela internet e a possibilidade de ensino com preços mais modestos são os pontos de maior relevância para a modalidade, que deve se manter em alta. “Tem muita gente para vir estudar ainda e o acesso, para quem está de fora, é o EaD”, ressalta Parente, destacando também o crescimento tanto do presencial quanto do semi-presencial.