Otimismo

XP Investimentos projeta Ibovespa na máxima histórica no fim de 2017

Para analistas da corretora, índice iria para 73.450 pontos no cenário-base, enquanto para 2018 o benchmark da bolsa poderia ir a 88.500 pontos

SÃO PAULO – Após os ganhos de 38,9% em 2016, o Ibovespa deve seguir seu movimento de alta este ano conforme o cenário econômico começa a dar sinais claros de recuperação, com a inflação caindo e a taxa de juros voltando para um dígito. Esta é a visão da equipe de analistas da XP Investimentos, que projeta o principal índice da Bolsa em 73.450 pontos em seu cenário-base, um ganho de 18,50%. A equipe de analistas da corretora comentou com mais detalhes estas projeções no XP Connection (confira o programa no final da matéria).  

Em relatório, a equipe da corretora ainda projeta um cenário mais otimista ao olhar para crescimento dos lucros, onde o Ibovespa iria para 79.450 – uma alta de 28,50% no ano -, e um pessimista, com queda do índice para 57.000, ou 8%. Durante o XP Connection, o analista Marco Saravalle apontou que o potencial de baixa não é tão grande, porque grande parte do cenário já está precificado. 

Para 2018, a projeção é ainda mais otimista, com a possibilidade do benchmark da bolsa podendo chegar a 88.500 pontos, ou um ganho de 42% sobre o nível atual. “Sabemos que o momento segue desafiador e de volatilidade, com as eleições no Congresso, na crise fiscal dos Estados, Reforma da Previdência e até mesmo a votação da cassação da chapa Dilma–Temer, além, é claro, das delações, porém, permanecemos otimistas no médio e longo prazo”, disseram os analistas.

PUBLICIDADE

Durante o XP Connection, o economista Gustavo Cruz apontou que 2018 será bastante importante por conta da eleição presidencial em meio às expectativas sobre o sucessor de Temer. “O governo de transição de Temer é importante para as reformas, mas elas têm que seguir nos próximos anos”. 

Além disso, a equipe da XP destaca que o Brasil depende mais das medidas internas para atração de capital estrangeiro, enquanto que países que são ‘concorrentes’, como México, Turquia e África do Sul, passam por um momento muito mais desafiador. “Temos um cenário externo que favorece o Brasil, em relação aos ‘concorrentes’ e temos ajustes para serem feitos, como acreditamos que os ajustes passarão, mesmo que desidratados, temos um cenário mais benigno para o Brasil retomar o crescimento”, completam os analistas. 

Veja o programa XP Connection sobre as perspectivas para o Ibovespa: