Nasdaq

XP Inc. anuncia oferta secundária, com venda de até 22,4 milhões de ações

Companhia também divulgou prévia de resultado do segundo trimestre de 2020, esperando receita bruta de R$ 1,9 bilhão no período

Guilherme Benchimol, durante IPO XP Inc
Guilherme Benchimol, durante IPO XP Inc (Foto: Matheus Detoni/Divulgação)

SÃO PAULO — A XP Inc. protocolou nesta segunda-feira (29) na Securities and Exchange Commission (SEC, órgão regulador do mercado de capitais dos EUA) um prospecto preliminar para uma oferta subsequente de ações (follow on; veja como funciona). A operação pode chegar a US$ 1 bilhão.

Segundo o documento, a intenção é que haja uma venda secundária de 19.535.420 de ações classe A da XP, que serão ofertadas pela XP Controle Participações SA e pela General Atlantic. Há ainda a possibilidade de ter um lote adicional de 2.930.313 ações classe A, o que levaria o total de ações vendidas para 22.465.733.

Como o preço máximo por ação ofertada será de US$ 45,05, conforme afirma o prospecto, a operação pode chegar a US$ 1,012 bilhão, considerando a venda integral do lote adicional. Hoje, as ações da XP terminaram o dia cotadas a US$ 43,52 na Nasdaq.

“Após a oferta, nossos principais acionistas, XP Controle Participações S.A., ou XP Controle, ITB Holding Brasil Participações Ltda., ou Itaú, e General Atlantic (XP) Bermuda, L.P., ou GA Bermuda, vão deter 79,49% do capital, assumindo não exercer opção de subscrição para adquirir as ações do lote adicional”, afirma o prospecto.

Assim, a XP Controle manterá aproximadamente 53,57% do poder de voto após a oferta. A operação será coordenada pela XP Investimentos, Morgan Stanley, Goldman Sachs e J.P.Morgan.

Prévia operacional

Além do follow on, a XP Inc. também divulgou dados operacionais prévios nesta segunda-feira, referentes ao segundo trimestre de 2020. Os números não foram auditados ainda.

Segundo a companhia, a receita bruta para os três meses findos em 30 de junho de 2020 deverá ficar entre R$ 1,850 bilhão e R$ 1,980 bilhão, em comparação com R$ 1,236 bilhão no mesmo período de 2019, representando um crescimento esperado entre 50% e 60%.

Já a margem líquida ajustada deve ficar entre 24% e 28%, em comparação com 20% no mesmo período de 2019. A margem líquida ajustada é calculada considerando o lucro líquido ajustado dividido pela receita líquida do período.

O lucro líquido ajustado do segundo trimestre, segundo a XP, deverá ficar entre R$ 420 milhões e R$ 520 milhões, comparado a R$ 228 milhões no mesmo período de 2019.

Já a receita líquida no mês de junho de 2020 deve ficar entre R$ 10 bilhões e R$ 12 bilhões, segundo a companhia, frente aos R$ 8,3 bilhões em maio e R$ 6,9 bilhões em abril deste ano.

Invista na carreira mais promissora dos próximos 10 anos: aprenda a trabalhar no mercado financeiro em um curso gratuito do InfoMoney!