Wal-Mart reporta crescimento inesperado no lucro e eleva guidance

Contudo, receita da empresa cai, impactada por efeitos negativos da variação cambial; ações sobem 2% no pré-market

Por  Giulia Santos Camillo -

SÃO PAULO – O lucro de operações continuadas do Wal-Mart, maior varejista do mundo, registrou um inesperado aumento durante o segundo trimestre, passando dos US$ 3,401 bilhões, ou US$ 0,87 por ação, apurados um ano antes, para US$ 3,449 bilhões, ou US$ 0,88 por ação.

A cifra também ficou acima das projeções dos analistas, que previam ganhos por ação de US$ 0,86, conforme levantamento feito pela Thomson Reuters. A notícia foi recebida com animação pelos investidores, levando as ações a uma alta de quase 2% no pré-market de Wall Street.

Apesar da alta no lucro, a varejista registrou queda na receita líquida na base de comparação anual, tendo passado de US$ 101,546 bilhões para US$ 100,082 bilhões. De acordo com a empresa, a receita internacional foi impactada negativamente pelo câmbio, sendo reduzida em aproximadamente US$ 4,199 bilhões.

Palavras da direção

Satisfeito com a performance das operações, o presidente e CEO (Chief Executive Officer) do Wal-Mart, Mike Duke, afirmou que a gestão disciplinada das operações impulsionou os resultados mesmo em meio ao difícil período, enquanto a melhora nas lojas atraiu mais clientes. “Nós acreditamos que nossas vendas de mesmas lojas continuaram a ter performance melhor do que o setor de varejo em quase todos os lugares em que temos negócios”, comemorou.

Já o CFO (Chief Financial Officer), Tom Schoewe, ressaltou a geração de aproximadamente US$ 4,2 bilhões em fluxo de caixa livre durante o primeiro semestre do ano. “O Wal-Mart continua forte financeiramente, com uma folha de balanço sólida, ótimo acesso aos mercados de capitais e um rating ‘AA’. E mais, nós somos uma das poucas companhias do Dow 30 que reportaram crescimento nos ganhos na base anual até agora”.

Guidance

Levando em consideração o desempenho melhor do que o esperado no segundo trimestre e expectativas de continuidade da boa gestão, a diretoria do Wal-Mart optou por elevar o piso do guidance para o lucro por ação de 2009, passando do intervalo entre US$ 3,45 e US$ 3,60, para a faixa entre US$ 3,50 e US$ 3,60.

Compartilhe