Wal-Mart define conceito de resistência e vê vendas subirem 5,1% em fevereiro

Avanço surpreende mercado e é justificado por vice-presidente pela queda do petróleo; ações sobem 3% no pré-market

Por  Valter Outeiro da Silveira -

SÃO PAULO – Enfrentando a baixa propensão ao consumo pelos norte-americanos, o Wal-Mart apresentou crescimento de 5,1% nas vendas inseridas no conceito “mesmas lojas” (unidades abertas há pelo menos um ano) durante fevereiro último.

Tal incremento surpreendeu as projeções do mercado, que giravam em torno de avanço na casa dos 2,4%. As vendas líquidas no período totalizaram US$ 30,08 bilhões, o que equivale a uma variação positiva de 2,8% em relação ao segundo mês de 2008.

Petróleo ajuda

“Acreditamos que os preços decrescentes dos combustíveis impulsionaram significativamente a renda disponível das famílias no último mês”, afirmou Eduardo Castro-Wright, em comunicado anexo à divulgação dos dados.

Por fim e, em sessão fadada a desvalorização dos índices acionários de Wall Street – graças aos sinais pessimistas dos setores financeiro e automobilístico -, as ações da maior varejista do mundo operam com ganhos de 3% nas negociações de pré-market.

Compartilhe