Beira da guerra

Voos de bombardeiros dos EUA levam península para beira de guerra nuclear, alerta Coreia do Norte

As duas aeronaves supersônicas B-1B Lancer foram mobilizadas em meio à crescente tensão sobre o desenvolvimento dos programas nuclear e de míssil da Coreia do Norte em desafio a sanções da ONU e a pressão dos Estados Unidos

SÃO PAULO – A Coreia do Norte acusou os Estados Unidos nesta terça-feira de levarem a península coreana para a beira de uma guerra nuclear após dois bombardeiros estratégicos norte-americanos realizarem exercícios de treinamento com as forças aéreas da Coreia do Sul e do Japão, em mais uma demonstração de força dos EUA. As duas aeronaves supersônicas B-1B Lancer foram mobilizadas em meio à crescente tensão sobre o desenvolvimento dos programas nuclear e de míssil da Coreia do Norte em desafio a sanções da ONU e a pressão dos Estados Unidos.

O voo das duas aeronaves na segunda-feira veio enquanto o presidente norte-americano, Donald Trump, disse que ficaria “honrado” em encontrar o líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, nas circunstâncias corretas, e enquanto o diretor da CIA foi para a Coreia do Sul. O porta-voz do Ministério da Defesa da Coreia do Sul, Moon Sang-gyun, disse em uma coletiva de imprensa em Seul que o exercício conjunto de segunda-feira foi conduzido para desencorajar provocações da Coreia do Norte.

A Coreia do Norte disse que as aeronaves conduziram um “exercício de lançamento de bomba nuclear contra objetos importantes” em seu território, em um momento em que Trump e “outros militaristas norte-americanos estão pedindo para fazer um ataque nuclear preventivo” na Coreia do Norte. “A imprudente provocação militar está empurrando a situação da península coreana para a beira de uma guerra nuclear”, informou a agência de notícias oficial da Coreia do Norte, KCNA, nesta terça-feira.

PUBLICIDADE

Escudo antimísseis

Nesta terça, os EUA confirmaram ainda que o polêmico escudo antimísseis Thaad já está em funcionamento na Coreia do Sul. 

“As forças dos EUA na Coreia confirmam que o Sistema de Defesa Terminal de Área a Grande Altitude (Thaad) está funcionando e tem a capacidade de interceptar mísseis norte-coreanos e defender a República da Coreia (nome oficial da Coreia do Sul)”, diz comunicado enviado por e-mail para a Agência EFE.

A nota foi assinada pelo coronel Richard Manning, é enviada uma semana depois que o Thaad começou a ser instalado em um antigo campo de golfe na região de Seongju (centro do país).  A implantação do escudo antimísseis, que foi acertada entre a Coreia do Sul e os Estados Unidos em julho do ano passado, tem como objetivo responder ao número recorde de testes de mísseis que a Coreia do Norte realizou em 2016, entre eles o de um foguete espacial, considerado pela comunidade internacional um teste de míssil disfarçado.

  (Com Reuters e Agência Brasil)