Volume negociado de BDRs salta 80% após liberação para pessoa física; Mercado Livre é o mais líquido

Um quarto do volume negociado por BDRs nos últimos 30 dias veio de cinco empresas: Facebook, Apple, Amazon, Microsoft e Google, grupo conhecido por FAAMG

Rodrigo Tolotti

Publicidade

SÃO PAULO – Um mês após entrar em vigor a nova regra que permite que qualquer investidor possa comprar Brazilian Depositary Receipts (BDRs) na bolsa brasileira, o valor diário negociados por esses ativos saltou quase 80%, chegando a R$ 212 milhões de média.

Segundo um levantamento feito pela equipe da XP Investimentos, considerando apenas os 40 principais BDRs disponíveis, o aumento no volume chegou a 111%, com este grupo passando a representar 87% da liquidez total.

Enquanto isso, um quarto de todo o volume negociado por BDRs nos últimos 30 dias veio apenas de cinco empresas: Facebook (FBOK34), Apple (AAPL34), Amazon (AMZO34), Microsoft (MSFT34) e Google (GOGL34), grupo conhecido por FAAMG. Estes ativos movimentaram o dobro do que costumavam antes da nova regra, chegando agora a R$ 58 milhões por dia.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Apesar disso, a empresa que mais tem BDRs negociados atualmente é a Mercado Livre, com volume de R$ 22 milhões por dia, de acordo com o levantamento da XP.

Entre outros ativos que chamaram atenção neste primeiro mês de nova regra está o da Tesla, que quase triplicou sua liquidez, para R$ 19 milhões diários de média, favorecida ainda pelo anúncio de sua inclusão no índice S&P 500 a partir de dezembro.

O desempenho desses ativos também chama atenção. Os quatro BDRs com maior liquidez atualmente acumulam ganhos de mais de 100% em 2020, com destaque para a Tesla, que saltou 703%.

Continua depois da publicidade

Veja os BDRs mais líquidos atualmente e seus desempenhos no ano:

A XP ainda levantou dados considerando a sua carteira Top 10 de BDRs (clique aqui para saber mais). Na lista, o destaque ficou para a Alibaba, cuja liquidez saltou 361%, o que segundo o estrategista internacional Guilherme Giserman e o analista Vinicius Araújo, mostra o grande interesse do mercado pela gigante chinesa.

Outro destaque foram os BDRs da Disney, que ultrapassaram os R$ 5 milhões negociados por dia, impulsionado pelo resultado positivo do serviço de streaming Disney+, que completou 1 ano recentemente com 74 milhões de assinantes, acima das expectativas mais otimistas.

Considerando a Top 10 da XP, a liquidez subiu 124% neste primeiro mês de liberação dos BDRs, alcançando R$ 68 milhões por dia, enquanto, antes da abertura, o volume era de apenas R$ 30 milhões.

Da carteira, as mais negociadas foram a Amazon, Alibaba e Google, sendo que todos os nomes tiveram aumento de liquidez superior a 40% no período.

Rodrigo Tolotti

Repórter de mercados do InfoMoney, escreve matérias sobre ações, câmbio, empresas, economia e política. Responsável pelo programa “Bloco Cripto” e outros assuntos relacionados à criptomoedas.