Fundos

Verde Asset diz que Bolsonaro foi ameaça à Reforma em março, mas que “racionalidade prevalecerá”

Fundo registra 4,3% de alta no ano contra 1,5% CDI e aposta em melhora do mercado brasileiro passadas as volatilidades recentes

São Paulo – A Verde Asset, comandada pelo famoso gestor Luis Stuhlberger, registrou ganhos de 0,42% em março contra 0,47% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário) obtendo ganhos com títulos do Tesouro Nacional e ações e moedas globais, enquanto ações brasileiras puxaram o resultado para baixo. Em 2019, a Verde acumula rendimento de 4,3% contra 1,5% do CDI. 

Segundo o relatório de gestão do fundo, a negociação de reformas como a da Previdência foi o principal driver de volatilidade no mercado brasileiro de renda variável. Neste cenário, a surpresa foi o próprio presidente Jair Bolsonaro representar uma “grande ameaça ao sucesso do esforço reformista do seu próprio governo”. 

Apesar das “caneladas”, como Bolsonaro se referiu aos erros na articulação das reformas, os economistas do fundo seguem acreditando que “a racionalidade prevalecerá e os incentivos estão alinhados para que os principais atores políticos cheguem a um bom termo”. O desafio agora seria enfrentar as ondas de volatilidade que provavelmente continuarão a vir por conta do instável arranjo político que se está tentando construir. 

PUBLICIDADE

“O fundo vê com bons olhos as oportunidades que isso deve trazer, e desde meados de março carrega exposições estruturais menores, especialmente na bolsa, para ter flexibilidade para navegar esse cenário”, acrescenta o relatório. 

Foi reduzida a alocação do fundo em bolsa americana e o Verde está comprado em 10% nas ações brasileiras. Foi mantida a posição aplicada em juro real no meio da curva e as principais posições são a vendida em euro contra a libra esterlina e a tomada em inclinação de juros nos Estados Unidos. 

Invista nos melhores fundos do mercado: abra sua conta na XP com taxa ZERO para abertura, manutenção de conta e TED!