Recomendação

Vendo uma “bolha diferente”, Citi corta preço-alvo de imobiliárias

Estimativas de lucro e Ebitda de Cyrela, MRV PDG e Rossi para 2012 e 2013 foram revisadas para baixo pelo banco

SÃO PAULO – Na corrida para atingir crescimento rápido nos últimos anos, as imobiliárias estão vivenciando um momento de crise, devido principalmente à decepção com a lucratividade do setor, em geral atribuída a estouros de orçamentos, aponta a Citi Corretora. A confiança, em geral, baixa sobre a visibilidade do lucro no curto prazo fizeram a corretora reduzir preço-alvo das principais empresas do setor, sendo elas a Cyrela (CYRE3), MRV (MRVE3), PDG (PDGR3) e Rossi (RSID3).

O analista Dan McGoey, da corretora, cita que o setor está vivenciando uma “bolha imobiliária diferente”. Em relatório, ele explica que essa bolha é diferente por ela não refletir um aumento excessivo dos preços dos imóveis e nem a uma alavancagem das empresas, mas sim a estouros de orçamentos, o que deve refletir em menores lançamentos para 2012.

Esse quadro levou a uma redução na projeção do Citi de 15% para o Ebitda (geração operacional de caixa) de 2012 e 20% na estimativa de 2013 da Cyrela, MRV e Rossi. A exceção ficou com a PDG, que apresentou recuo de 25% e 40% nas estimativas para o Ebitda para este ano e o próximo, respectivamente.

Além disso, a corretora também diminuiu a projeção para LPA (Lucro Por Ação), em 10% em 2012 e 15% em 2013 para todas as empresas já citadas, excluindo a PDG que deve mostrar um LPA menor em 30% e 40% nos mesmos períodos, nesta ordem. 

Segundo McGoey, o setor deve registrar uma desaceleração ordenada da atividade no mercado de construção residencial brasileiro, já antecipando medidas rígidas para reduzir o tamanho dos negócios, lembrando que tanto a Cyrela quanto a PDG divulgaram recentemente dados sobre as vendas contratadas e os lançamentos prévios do segundo trimestre deste ano coerentes com uma estratégia de redução do tamanho do negócio. 

Embora a redução do volume de negócios afete o múltiplo P/L das empresas, o analista pondera que a recuperação do capital e o aumento da lucratividade são os caminhos mais rápidos para melhorar o balanço patrimonial e o fluxo de caixa e para corrigir descontos de valuation acentuados sobre o valor patrimonial. 

Confira os novos preços-alvos da Citi para as empresas do setor imobiliário:

InstituiçãoTickerPreço-Alvo
Anterior 

Preço-Alvo
Atual
 

Novo Upside*
CyrelaCYRE3R$ 18,20R$ 14,40+2,93%
MRV EngenhariaMRVE3R$ 18,00R$ 13,20+32,40%
PDG RealtyPDGR3R$ 8,40R$ 5,40+64,63%
RossiRSID3R$ 10,30R$ 8,30+93,47%

* Upside: Potencial de valorização em relação ao fechamento da última quarta-feira (11)

Outras corretoras foram pelo mesmo caminho
Vale lembrar que recentemente outras corretoras anunciaram revisão em suas recomendações e preços-alvos para as ações das principais empresas do setor de construção civil. O HSBC reduziu os targets da Cyrela, Gafisa, MRV e Rossi, enquanto cortou a recomendação e preço-alvo da PDG. Já o Deutsche Bank rebaixou a recomendação da Rossi e PDG, enquanto elevou da MRV e Helbor (HBOR3).  

PUBLICIDADE