Vencimento de opções sobre ações movimenta R$ 2,48 bilhões em maio

Volume é o maior do ano até o momento; no mês, R$ 2,37 bilhões vem de opções de compra e R$ 101,4 milhões de venda

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Conforme informou a BM&F Bovespa nesta segunda-feira (18), o exercício de opções sobre ações de maio movimentou R$ 2,48 bilhões, sendo R$ 2,378 bilhões relativos a opções de compra e R$ 101,476 milhões referentes a opções de venda.

Até o momento, esta é a maior cifra do ano. O maior montante de 2008 foi conquistado em abril, quando o giro bateu R$ 4,41 bilhões. No mês passado, o volume movimentado foi de R$ 2,34 bilhões, enquanto em março, chegou a R$ 1,4 bilhão.

Opções de Vale e Petrobras dominam

Entre as opções que registraram forte volume, destaque para as de compra sobre os papéis preferenciais da Petrobras (PETR4). Aquelas com preços de exercício de R$ 29,66 por ação movimentaram R$ 279,47 milhões, ao passo que as com preço de exercício em R$ 27,66 mobilizaram R$ 227,95 milhões.

Aprenda a investir na bolsa

Já as opções de compra sobre os papéis preferenciais classe A da Vale (VALE5) com preços de exercício de R$ 31,48 e R$ 29,48 por ação transacionaram R$ 229,89 milhões e R$ 228,91 milhões, respectivamente.

Dados de 2009

VencimentoOpções de compra
(R$ milhões)
Opções de venda
(R$ milhões)
Total
(R$ milhões)
18/05/2009R$ 2.378,9R$ 101,4R$ 2.480,4
20/04/2009R$ 1.894,9R$ 448,2R$ 2.343,2
16/03/2009R$ 1.156,9R$ 253,4R$ 1.410,3
16/02/2009R$ 1.762,8R$ 341,2R$ 2.104,1
19/01/2009R$ 893,3R$ 290,2R$ 1.183,0

Fonte: BM&F Bovespa

Vencimento eleva volatilidade

A forte oscilação verificada em dias de vencimento de derivativos reflete a disputa entre “comprados” e “vendidos”. De modo geral, os “comprados” apostam na alta das ações, enquanto os “vendidos” visam o fraco desempenho dos papéis.

Neste cenário, os “comprados” tendem a adquirir grandes quantidades de ações, na tentativa de elevar seu preço, enquanto os “vendidos” promovem a venda dos papéis, com o intuito de derrubar as cotações.

Vale lembrar que esse movimento ganha força na medida em que as ações mais negociadas nos contratos de opções costumam carregar participação significativa no Índice Bovespa.

PUBLICIDADE