Impacto nos EUA e no Brasil

Vasta tem estreia turbulenta de suas ações nos EUA e leva à forte queda dos papéis da Cogna na B3

Papéis da subsidiária da Cogna chegaram a subir 17% e a cair 12% nos primeiros negócios nos EUA, impactando fortemente sua controladora na Bolsa brasileira

arrow_forwardMais sobre
Kroton passa a se chamar Cogna
NOVA EMPRESA: Kroton passa a se chamar Cogna, holding reunindo quatro companhiar

SÃO PAULO – A Vasta, subsidiária da Cogna Educação (COGN3), estreou suas ações na Nasdaq Global Select com forte volatilidade, impactando diretamente os papéis COGN3 na B3 na sessão desta sexta-feira (31).

Os ativos VSTA começaram a negociar por volta da 13h (horário de Brasília), registrando forte alta nos seus primeiros negócios, superior a 17%, atingindo uma máxima de US$ 22,35 por ativo.

Os papéis, porém, logo viraram para queda, o que também impactou os ativos da Cogna na B3, que entraram em leilão algumas vezes entre 13h e 13h30. A queda máxima atingida pelos papéis VSTA foi de 11,73%, a US$ 16,77, poucos minutos após a estreia no mercado americano.

PUBLICIDADE

Vale ressaltar que, logo na abertura da Bolsa brasileira, as ações COGN3 chegaram a subir 5,07% em meio ao otimismo com o IPO da Vasta; os papéis, porém, foram diminuindo os ganhos durante o dia, chegando a cair 14,06% na mínima, acompanhando a forte volatilidade dos ativos da Vasta.

Após uma primeira meia hora turbulenta de pregão, os ativos da subsidiária da Cogna estabilizaram, negociando com leve alta de 1%; enquanto isso, os ativos COGN3 saíram do leilão na B3, mas passaram a operar em baixa muito expressiva durante o restante do pregão – e fechando em queda de 12,47%, a R$ 8,28. Enquanto isso, as ações da Vasta fecharam o seu primeiro pregão de negociação em queda de apenas 0,79%, a US$ 18,85.

Até o fechamento da véspera, os ativos da empresa de educação registravam a maior alta do mês de julho dentre as ações que compõem o Ibovespa. Mesmo com a queda desta sessão, no mês, os ativos COGN3 subiram 25,26%, indicando que a Vasta “cumpriu seu papel” de destravar valor dos papéis da controladora – gerando um movimento de realização de lucros após a conclusão da operação de abertura de capital.

Cabe destacar que a Vasta precificou na véspera as novas ações classe A a US$ 19 cada em IPO nos EUA, levantando US$ 405,9 milhões em sua abertura de capital. Desta forma, ela se junta às empresas brasileiras do setor listadas na Nasdaq, caso da Arco Platform e da Afya.

A Vasta presta serviços educacionais, tanto de conteúdo pedagógico quanto de gestão administrativa, a outras escolas. Entre esses negócios estão, sistemas de ensino como Anglo e Pitágoras, além de quatro editoras de livros didáticos, escolas de idiomas e a plataforma digital Plurall, usada atualmente por mais de 1 milhão de alunos que estão tendo aulas online durante a pandemia. No primeiro trimestre, a Vasta foi o destaque da Cogna com alta de 24% na receita líquida. Entre as vantagens da Vasta, estão as suas ferramentas digitais.

Conforme destacou em nota recente a Levante Ideias de Investimentos, o dinheiro captado é importante para a Cogna manter sua estratégia de seguir crescendo via aquisições destacando ainda que, em fevereiro, a companhia já havia levantado outros R$ 2,6 bilhões com a realização de uma oferta de ações (follow-on) no começo do ano.

PUBLICIDADE

“O mundo pós-pandemia deve trazer mudanças nos sistemas de ensino 100% presenciais. Entendemos que o processo de hibridização do ensino que já vinha acontecendo no ensino superior será fortemente acelerado neste novo cenário e a Cogna está em uma boa posição para capturar valor com essa nova realidade”, avaliam os analistas.

A carreira que mais forma milionários: conheça o primeiro MBA do Brasil totalmente dedicado ao mercado de ações