Volatilidade

Variações de 20% foram comuns na última semana: a bolsa está nervosa?

LLX, B2W e Eletrobras tiveram ganhos de mais de 20% em uma única sessão na semana anterior

SÃO PAULO – O clima de incerteza foi predominante no mercado de ações ao longo de 2012: além da situação turbulenta dos países da zona do euro e os temores de um “pouso forçado” na economia chinesa, os investidores agora se deparam com a falta de sintonia entre os membros do governo norte-americano para solucionar a questão do abismo fiscal. Tudo isso tem colaborado para deixar os ânimos mais exaltados no mercado – contribuindo para maior volatilidade no preço dos ativos negociados na Bovespa.

Na semana passada, os investidores correram para precificar as notícias e fizeram as ações de B2W Varejo (BTOW3), LLX Logística (LLXL3) e Eletrobras (ELET3; ELET6) registrarem altas de mais de 20% em uma única sessão. E não são small caps cuja falta de liquidez permite a manipulação dos preços: todas elas pertencem ao Ibovespa.

E isso pode ter sido um exagero. Os papéis da B2W Varejo, por exemplo, subiram 17,35% na terça-feira – chegando a registrar alta de 21,74% no intraday -, reflexo de uma elevação de recomendação por parte do Bank of America Merrill Lynch, um fator que, quando mexe com o preço da ação, não costume ser tão agressivo assim. “O mercado anda volátil ultimamente e isto está se acentuando”, destaca João Pedro Brugger, analista da Leme Investimentos. 

A alta foi tão forte que houve quem voltasse a acreditar em uma possível compra da B2W por parte da Amazon: fato que carece de qualquer explicação ou comprovação factual. Mas as informações eram de que apenas uma elevação de recomendação havia sido dada. O suficiente para levar os investidores a apostarem pesadamente na B2W – já que entre todas as empresas cheias de incerteza no mercado, ao menos alguma coisa de positivo lhe ocorria.

Tal valorização é ainda mais impressionante quando se vê o movimento recente dos papéis BTOW3: de junho até o pregão de segunda – dia pré-elevação de recomendação do BofA -, as ações da varejista online acumulavam ganhos de mais de 130%. Além disso, na quarta-feira esses ativos subiram mais 11,79%, ampliando os ganhos acumulados desde junho para a faixa de 200%.

LLX e Eletrobras
Se na avaliação de Brugger, esse movimento da B2W foi exagerado, o da LLX é questionável”. A empresa de logística de Eike Batista firmou uma parceria com a General Electric, e viu suas ações ganharem 27,59% de valor de mercado na sessão seguinte. “Talvez o acordo da LLX não fosse tão bom para impulsionar tanto assim, mas com certeza não é algo para se passar batido”, diz.

Já a alta de 23% das ações preferenciais da Eletrobras na sexta, acredita o analista, é o único movimento que faz sentido. “A notícia [de que o governo vai rever os termos das concessões] foi bastante forte”, afirma. Contudo, ele acredita que o que tem deixado o mercado assim tem sido a volatilidade inerente de uma economia global que não se desenvolve. “De uns anos para cá, o mercado vem ficado bastante volátil”, diz, citando o período pós-crise de 2008.

“Talvez isso ocorra pelo fluxo de informações ser muito grande hoje em dia, e o acesso também”, diz. Bombardeados de informação, os atuantes do mercado agem cada vez mais irracionalmente: sobretudo em períodos de grande indefinição com o cenário macro. Nervosos, é capaz de que qualquer referência, positiva ou negativa, faça-os mudar ferozmente de opinião – e levar as ações junto.

E são situações que não apresentam tanta pressa. Logo após o anúncio dos termos das concessões, houve quem acreditava que e o governo precisaria ceder até o fim do prazo para não provocar a quebra a Eletrobras. Presos nessa situação, a pressão vendedora acabou derrubando os papéis nas últimas semanas – levando-os para o patamar de 2004.

PUBLICIDADE

Eventualmente, o governo cedeu e a ação se recuperou rapidamente. Em um ambiente com tantas informações e incertezas, Brugger acredita que movimentos irracionais aparecem e desaparecem com bastante velocidade – o que, eventualmente, abre janelas de oportunidades. “As expectativas mudam muito até de um dia para a noite, e não deveria ser assim”, finaliza o analista,