Radar InfoMoney

Vale tem recomendação elevada, Petrobras, BB e mais 12 destaques

Confira o que chama atenção no mundo corporativo na manhã desta segunda-feira; a matéria será atualizada até a abertura da Bovespa às 10h (horário de Brasília)

Mineração da Vale
Mineração da Vale

SÃO PAULO – O noticiário corporativo aparece movimentado hoje, entre uma ainda tímida temporada de balanços do segundo trimestre, recomendação da Vale, prejuízo bilionário da Petrobras em acordo com nafta com a Braskem e informação de que a Magazine Luiza pretende renovar seu contrato com a Cardif, visto nos últimos dias como um dos motivos para a disparada do papel na Bolsa. Confira abaixo o que é destaque nesta manhã:

Petrobras
Ministério Público Federal afirmou na sexta-feira que a Petrobras (PETR3PETR4) teve um prejuízo de R$ 6 bilhões entre 2009 e 2014 com a venda de nafta para a Braskem (BRKM5), petroquímica do grupo Odebrecht. Segundo a denúncia apresentada, o ex-diretor de Abastecimento da estatal, Paulo Roberto Costa, agiu para fechar um acordo de negociação de nafta com a Braskem, em 2009, a preços abaixo do preço internacional. 

Em nota, a Braskem disse que “não faz sentido” falar em R$ 6 bilhões de prejuízo na Petrobras. A Braskem é controlada pela Odebrecht e tem como segunda maior sócia a própria Petrobras.

Vale 
A Vale (VALE3; VALE5) teve sua recomendação elevada de underperform (desempenho abaixo da média) para manutenção pelo Santander.

Banco do Brasil 
O Tesouro Nacional disse que a venda de ações do Banco do Brasil (BBAS3) que estavam em poder do Fundo Soberano do Brasil somou R$ 134 milhões e foi realizada entre os dias 29 de junho e 15 de julho. No período, as ações do BB caíram 14,6%, enquanto os papéis do Bradesco (BBDC4) e Itaú Unibanco (ITUB4) recuaram 6% e 7%, respectivamente.   

Para o Credit Suisse, a nota do Tesouro é marginalmente positiva dado a remoção de expectativa do mercado de que pudesse haver mais vendas. 

Veja mais em: Por que o BB se tornar o banco mais barato do mundo não é uma oportunidade?

Tractebel
Dando continuidade à temporada de balanços, na sexta-feira à noite foi revelado os números da Tractebel e Hypermarcas. Para esta manhã, não há balanços programados para ser divulgados. A geradora de energia elétrica Tractebel (TBLE3) informou que obteve lucro líquido de R$ 209,3 milhões no período, com alta de 183,8% superior ao mesmo período do ano passado, quando alcançou R$ 73,7 milhões. Em comparação ao primeiro semestre de 2014, o lucro líquido da companhia aumentou 52,6% ao fechar em R$ 554 milhões ante R$ 363 milhões.

Apesar do sólido crescimento do lucro na comparação anual, os analistas do Citi esperam reação neutra para ligeiramente negativa após o resultado. Já o Credit Suisse ressaltou que os números ficaram pouco abaixo das expectativas, mas com melhora significativa na comparação anual devido à estratégia de alocação de volume. 

PUBLICIDADE

Hypermarcas
A Hypermarcas (HYPE3) teve lucro líquido de R$ 110,9 milhões no segundo trimestre deste ano, recuo de 9,3% na comparação anual com o segundo trimestre de 2014 ao fechar em R$ 122,2 milhões. Neste primeiro semestre teve queda de 5,1%, alcançando R$ 201 milhões ante R$ 212 milhões em 2014. Para o Credit Suisse, os números vieram em linha com as estimativas, com uma receita resiliente e execução sólida. A margem bruta ficou acima das projeções, mas ainda caiu 326 pontos-base em função da depreciação do câmbio.  

Souza Cruz
A Souza Cruz (CRUZ3) divulgou resultados operacionais do segundo trimestre reportando um lucro líquido de R$ 831,3 milhões no primeiro semestre, uma queda de 2% na comparação anual. O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) somou R$ 1,245 bilhão no período, queda de 7,1% sobre o primeiro semestre de 2014.

Educacionais
Depois de forte derrocada das ações na Bolsa, o BTG Pactual começa a ver uma luz no fim do túnel para as ações das educacionais. Para os analistas, os fundamentos de longo prazo e a capacidade das empresas em se aprimorar devem compensar os efeitos negativos de curto prazo diante de um cenário mais restritivo para o crédito. A Kroton (KROT3) é apontada como a top pick do setor, seguida da Ser Educacional (SEER3), enquanto Anima (ANIM3) e Estácio (ESTC3) mostram um potencial de valorização menos atrativo. Para eles, as ações das companhias do setor de educação parecem muito próximas do patamar estabelecido para o cenário bearish (pessimista), limitando o potencial de perda. 

Elétricas
No setor elétrico, pode ser divulgado esta semana o plano de socorro às geradoras em análise dentro do MME (Ministério de Minas e Energia). O governo federal cogita, inclusive, a criação de fundos que permitam aos geradores assumirem as despesas com o déficit de geração hídrico, conhecido pela sigla GSF, sem provocar um rombo no caixa do setor. 

Gol
A Gol (GOLL4) informou nesta manhã que registrou aumento de 3,5% na oferta de voos domésticos em junho, em comparação a igual mês de 2014. Na mesma base de comparação, a demanda doméstica cresceu 5,6%. A taxa de ocupação doméstica subiu 1,5 ponto percentual, para 77,2% em junho. O número de passageiros transportados cresceu 2,2%, para 2,8 milhões. 
 

Bradesco
A negociação entre o Bradesco (BBDC4) e o HSBC Brasil ocorre com exclusividade, segundo fontes. O Bradesco teria feito oferta vinculante, conforme as mesmas fontes, por toda a operação no País acima do patrimônio líquido do conglomerado, de cerca de R$ 12 bilhões. 

Santander
O Santander Brasil (SANB11) assinou documentos vinculativos para a formação de uma joint venture com o Banque PSA, que visa à oferta de uma gama de produtos e serviços financeiros e securitários aos consumidores e concessionários das marcas PSA no Brasil. 

IMC
A International Meal Company Alimentação (MEAL3), dona das redes de restaurantes Viena e Frango Assado, informou na sexta-feira que foram eleitos novos presidente do conselho de administração e membro independente do colegiado, Patrice Etlin e Dilson Santos, em assembleia realizada no dia 17 de julho.

PUBLICIDADE

Os cargos antes eram ocupados, respectivamente, por Juan Carlos Torres Carretero e Humberto Eustáquio César Mota, que renunciaram em 26 de junho. 

Eletrobras
O presidente da Camargo Corrêa, Dalton Avancini, disse em sua delação premiada no âmbito da Operação Lava Jato que empreiteiras, incluindo sua empresa e a Odebrecht, realizaram reuniões para discutir o pagamento de propinas a dirigentes da Eletrobras (ELET3;ELET6) em agosto de 2014, quando as investigações já estavam em andamento e eram públicas.

A revelação aparece em despacho divulgado nesta sexta-feira, em que o juiz Sérgio Moro pede a continuidade da prisão preventiva de executivos da Odebrecht, incluindo o presidente da empresa, Marcelo Bahia Odebrecht. A Eletrobras afirmou que “já se manifestou sobre este tema em comunicados ao mercado”.

Após a citação da Eletrobras durante as investigações, o escritório de advocacia Rosen Law Firm anunciou nesta semana que entrou com ação contra a estatal nos Estados Unidos, para reparar prejuízos a investidores que compraram ações da empresa no mercado americano entre fevereiro de 2014 e abril de 2015.

Magazine Luiza
A Magazine Luiza (MGLU3) disse que sua intenção é renovar o contrato com a Cardif até o final do ano, embora o estágio dessa avaliação ainda seja preliminar, ressaltando que não há medidas concretas até o momento sobre o tema. A possível renovação do contrato foi atribuída nos últimos dias à disparada do papel na Bolsa, que chegou a disparar 54% na semana passada depois de ter batido na segunda-feira seu menor patamar histórico.

Daycoval 
Os acionistas do banco Daycoval (DAYC4) aprovaram a OPA (Oferta Pública de Aquisição) de ações para fechamento de capital da instituição. 

Com Agência Brasil e Reuters