Tempo Real

Vale, siderúrgicas e Gol caem mais de 3%; elétrica sobe 4% com recomendação

Confira a atualização dos principais destaques da Bovespa nesta terça-feira

Aprenda a investir na bolsa

11h13: Varejistas
As ações das varejistas caem hoje após dados ruins do setor para o mês de maio. As vendas no varejo brasileiro caíram 0,9% em maio, pior desempenho em 14 anos para esse mês e muito pior do que o esperado, aprofundando a fraqueza enfrentada pelo setor diante do cenário de inflação alta e economia fragilizada no país. Em relação a maio do ano passado, as vendas recuaram 4,5%, num mês marcado pelo Dia das Mães, segundo dados divulgados nesta terça-feira pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia a Estatística).

Na Bolsa, as ações da Via Varejo (VVAR11, R$ 10,03, -2,53%) e Lojas Renner (LREN3, R$ 114,43, -1,10%) caem mais de 1%. 

11h02: Transmissão Paulista (TRPL4, R$ 40,65, +3,67%)
A elétrica Transmissão Paulista teve sua recomendação elevada de neutra para compra pelo BTG Pactual, assim como o preço-alvo, que passou de R$ 40,00 para R$ 45,00 por ação. 

Aprenda a investir na bolsa

11h00: Petrobras (PETR3, R$ 13,29, +0,15%PETR4, R$ 11,77, -0,42%)
As ações da Petrobras amenizam as perdas registradas mais cedo, com as ordinárias virando para alta. O movimento ocorre junto com os preços do petróleo no mercado internacional, que suavizam a queda. O petróleo Brent, negociado em Londres e usado como referência pela Petrobras, caía 0,45%, a US$ 57,59, enquanto o WTI, do Texas, recuava 0,10%, a US$ 52,15. 

10h49: Gol (GOLL4, R$ 6,68, -4,30%)
Depois de ameaçar nova alta nesta sessão, as ações da Gol viraram para queda. Da máxima até a mínima desta sessão, os papéis caíram 5%. O conselho da companhia se reúne hoje para definir o valor em reais de seu aumento de capital. Será definido também, o preço e a data da negociação das novas ações a serem emitidas. O acionista controlador (família Constantino) investirá até US$ 90 milhões e a Delta AirLines até US$ 56 milhões em ações preferenciais a serem emitidas.

Ontem, a notícia agradou ao mercado e as ações da companhia subiram 15,37%, liderando as altas do Ibovespa, comentou a XP Investimentos. A Delta também irá garantir um empréstimo a prazo, a ser celebrado pela Gol com credores terceiros, de até US$ 300 milhões.

10h46: Siderúrgicas
As ações das siderúrgicas deixam para trás os fortes ganhos da véspera e caem hoje: Gerdau (GGBR4, R$ 6,75, -3,98%), Metalúrgica Gerdau (GOAU4, R$ 5,03, -3,82%), Usiminas (USIM5, R$ 4,23, -2,31%) e CSN (CSNA3, R$ 4,75, -2,26%). Com o movimento, as ações da Gerdau atingem a maior queda no intraday em três meses. O Instituto Aço Brasil refez suas estimativas para o desempenho do setor neste ano. Segundo o estudo, a produção de aço bruto deverá mostrar uma queda de 3,4% sobre o ano passado, contra uma estimativa anterior de alta de 6,4%. 

Sobre a Gerdau, a companhia anunciou nesta terça-feira uma reestruturação dos negócios nas Américas, com redistribuição das operações em três divisões para América do Norte, América do Sul e Brasil. Para simplificar e unificar as participações societárias na companhia fechadas da Gerdau S.A. no Brasil, o conselho de administração da empresa aprovou a compra de fatias minoritárias na Gerdau Aços Longos, Gerdau Açominas, Gerdau Aços Especiais e Gerdau América Latina Participações, por um total de R$ 1,986 bilhão. As aquisições permitirão à Gerdau S.A. deter mais de 99% do capital total de cada uma das controladas.  

Em relação à CSN, vale lembrar que ontem a empresa sinalizou venda de ativos em meio ao seu alto endividamento. A notícia juntamente com o anúncio da Vale sobre redução da oferta de minério de baixa qualidade puxaram os papéis para alta de 7% na véspera. Segundo o analistas independente Pedro Galdi, do blog What’s Call, a alta de ontem foi um “exagero”. 

PUBLICIDADE

10h30: CVC (CVCB3, R$ 19,19, +0,95%)
Os papéis da CVC dispararam a partir de ontem à tarde, chegando a ganhos de 6,43% na máxima do pregão após a notícia de que a TUI Travel, líder no mercado de turismo na Europa, estaria de preparando para fazer uma oferta pela CVC. As informações são de Geraldo Samor, da Veja MercadosApesar da disparada, os papéis perderam força, fechando ontem com alta de 2,20%, cotada a R$ 19,01. Segundo Samor, a TUI está trabalhando com o Deutsche Bank para fazer a oferta, lembrando que esta não é a primeira vez que a companhia tenta comprar a CVC.

10h09: Vale (VALE3, R$ 18,12, -2,05%; VALE5, R$ 15,07, -1,89%)
As ações da Vale caem hoje após disparada de mais de 7% na véspera em meio ao anúncio de redução de 25 milhões de toneladas de sua oferta de minério a partir deste mês, segundo o diretor da empresa do negócio de ferrosos, Peter Poppinga. 

Analistas afirmaram, no entanto, que a leitura do mercado havia sido errada sobre o corte e que a alta de ontem foi “exagerada”. Pouco depois, a própria mineradora afirmou que manterá sua oferta de 340 milhões de toneladas de ferro esse ano. O que a Vale fez foi substituir o minério de alta custo/baixa qualidade por de menor custo/maior qualidade, explicou o Morgan Stanley. A decisão pode ter até um impacto positivo sobre o Ebitda/tonelada, mas terá um efeito nulo ou até negativo sobre os preços do minério, comentou o banco. “A alta de ontem não condiz com o cenário atual”, disse Pedro Galdi, analista independente do blog What’s Call. 

Hoje, o minério de ferro recuou 1% no mercado à vista chinês para US$ 49,40 a tonelada de acordo com dados do The Steel Index. Esse valor segue como referência a commodity com teor de concentração de 62% negociada no porto de Tianjin, na China.