Acidente

Vale faz resgate de funcionários presos em subsolo de mina no Canadá

Mina de Totten, que produziu 3.600 toneladas de níquel, está com a produção temporariamente suspensa

arrow_forwardMais sobre

Trinta e nove funcionários da Vale (VALE3) estão presos no subsolo da Mina Totten, em Sudbury, Ontário, no Canadá, desde a tarde de domingo (26).

Segundo a Vale, nos primeiros seis meses de 2021, a mina de Totten produziu 3.600 toneladas de níquel.

“A produção na mina está temporariamente suspensa e estamos avaliando as medidas necessárias para retomada da produção”, informou a Vale, em comunicado ao mercado.

A Vale também afirmou, nesta segunda-feira (27), que os trabalhadores estão seguros e atualmente se mobilizam para sair da mina por meio de um sistema de escada de saída secundária.

“Ninguém está ferido, o que é nossa preocupação número um, e os trabalhadores tiveram e continuam tendo acesso a água, alimentos e remédios”, disse a companhia.

O incidente ocorreu quando o meio de transporte para transferência dos empregados saiu do eixo, após um incidente no poço.

“Os empregados estavam no subsolo no momento e imediatamente foram para os postos de refúgio como parte de nossos procedimentos normais, e estamos mantendo comunicação frequente com eles desde o incidente”.

“Estamos fazendo tudo o que podemos para garantir a segurança desses funcionários e forneceremos novas atualizações assim que estiverem disponíveis”, afirmou.

Ainda segundo a mineradora, todos estão seguros, com acesso a água, alimentos e remédios.

Ações da Vale

PUBLICIDADE

Os papéis da Vale, que abriram em alta – recuperando parte da recente desvalorização do preço do minério –, foram para o negativo, com a notícia do acidente, cotados abaixo dos R$ 77.

Mas logo após o esclarecimento da informação, voltaram para o positivo e operavam com alta superior a 1% ao final do pregão.

Ao final da sessão, as ações da Vale encerraram com alta de 1,43%, cotadas a R$ 78,80.

Analista TOP 3 em rentabilidade de curto prazo compartilha seu método exclusivo na Bolsa